sábado, 31 de agosto de 2013

"A vida é uma mesa posta, com venenos mortais, pratos insossos e outros deliciosos. Alguns conscientemente escolhem veneno, achando que viver é sofrer, e ponto final. Outros comem - e vivem - sem sal.
Mas há os que, quando podem, pegam as delícias da vida e assim se salvam da areia movediça da depressão."

[Lya Luft in Pensar é Transgredir]


Hoje, quero ser o meu melhor encontro de Amor, deitado no meu abraço mais gostoso a me envolver macio como cetim e enfeitar de sereno e cuidados minha própria Alma. Porque algo aqui dentro me convida a despedir tristezas como quem lava as mãos no rio do tempo, cantarolando baixinho música a me lembrar de infância. Hoje, namoro silêncios para com carinho consertar meu vaso rachado de esperanças e acreditar mais em mim. É hora de vestir levezas, convidar a Vida para dançar ciranda e me crer amada pelos amanhãs. Algo nessa noite tece mistérios que descortinam a Alma feito mágica, a me trazer sensação de surpresa boa, como a delícia de um sorriso de criança que se encantou com o truque de tirar o melhor suspiro da cartola. Hoje é dia de espalhar sementes sem precisar sair do lugar. De plantar um pé-de-sol dentro do peito e respirar macio. Hoje é dia de saber o tamanho das próprias asas.
É dia de adormecer os medos e desempoeirar verdades, exercitando coragens pra desatar nós em laços que não mais enfeitam, e dissolver mágoas no perdão-de-si. Sou, antes de mim, um ser inacabado que existe sendo, frase de inspirações passadas a viver um presente sem rosto, mas que quer sorrir. Para além das marés que sinto entre as noites e tempestades, eu sou o meu próprio farol. Sou antes de ser flor, plantação. Antes do amanhecer, meu próprio sol. Sou a promessa da semente e preciso me pertencer toda e inteira antes, para poder me saber depois. Sou a lenta despedida do que não me pertence mais. Eu sou um delicioso plural de mim.

[Lilian Vereza e Guilherme Antunes]
Img: Keira Knigtley in Desejo e Reparação

"Que o mar esteja sempre azul, que o céu seja farto de estrelas, que o vinho nunca seja proibido, que o amor seja respeitado em todas as suas formas, que nossos sentimentos não sejam em vão, que saibamos apreciar o belo, que percebamos o ridículo das ideias estanques e inflexíveis, que leiamos muitos livros, que escutemos muita música, que amemos de corpo e alma, que sejamos mais práticos do que teóricos, mais fáceis do que difíceis, mais saudáveis do que neurastênicos, e que não tenhamos tanto medo da palavra felicidade, que designa apenas o conforto de estar onde se está, de ser o que se é e de não ter medo, já que o medo infecciona a mente. 

Que nosso Deus, seja qual for, não nos condene, não nos exija penitências, seja um amigo para todas as horas, sem subtrair nossa inteligência, prazer e entrega às emoções que nos fazem sentir plenos. A vida é um presente, e desfrutá-la com leveza, inteligência e tolerância é a melhor forma de agradecer – aliás, a única."

[Martha Medeiros]

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Antes de se comprometer

— Toda mulher deve ser capaz de responder três perguntas antes de se comprometer com um homem. Se disser “não” a qualquer uma das três, saia correndo.
— É só um encontro — digo, rindo. — Duvido que eu vá me comprometer com alguma coisa.
— Sei que não vai, Lake. Estou falando sério. Se não for capaz de responder “sim” às três perguntas, nem perca seu tempo num namoro.
Quando abro a boca, sinto como se estivesse apenas reafirmando que era filha dela. Não a interrompo novamente.
— Ele a trata com respeito o tempo inteiro? Essa é a primeira pergunta. A segunda é: se, daqui a vinte anos, ele fosse exatamente a mesma pessoa que é hoje, você ainda assim se casaria com ele? E, finalmente, ele faz com que você queira ser uma pessoa melhor? Se conseguir responder “sim” às três em relação a uma pessoa, então encontrou um homem decente.
[Colleen Hoover in Métrica]

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Amado ou temido?

"Vale mais ser amado ou temido ? O ideal é ser as duas coisas, mas como é difícil reunir as duas coisas, é muito mais seguro – quando uma delas tiver que faltar – ser temido do que amado. Porque, dos homens em geral, se pode dizer o seguinte: que são ingratos, volúveis, fingidos e dissimulados, fugidios ao perigo, ávidos do ganho. E enquanto lhes fazeis bem, são todos vossos e oferecem-vos a família, os bens pessoais, a vida, os descendentes, desde que a necessidade esteja bem longe. Mas quando ela se avizinha, contra vós se revoltam. E aquele príncipe que tiver confiado naquelas promessas, como fundamento do ser poder, encontrando-se desprovido de outras precauções, está perdido. É que as amizades que se adquirem através das riquezas, e não com grandeza e nobreza de carácter, compram-se, mas não se pode contar com elas nos momentos de adversidade. Os homens sentem menos inibição em ofender alguém que se faça amar do que outro que se faça temer, porque a amizade implica um vínculo de obrigações, o qual, devido à maldade dos homens, em qualquer altura se rompe, conforme as conveniências. O temor, por seu turno, implica o medo de uma punição, que nunca mais se extingue. No entanto, o príncipe deve fazer-se temer, de modo que, senão conseguir obter a estima, também não concite o ódio."

[Nicolau Maquiavel in “O Príncipe”]

Infelizmente é verdade

─ As pessoas são muito malvadas.
─ Malvadas não. Imbecis, o que não é a mesma coisa. O mal pressupõe uma determinação moral, intenção e certa inteligência. O imbecil ou selvagem não para para pensar ou raciocinar. Age por instinto, como besta de estábulo, convencido de que está fazendo o bem, de que sempre tem razão e orgulhoso de sair fodendo tudo aquilo que lhe parece diferente dele próprio, seja em relação à cor, credo, idioma, nacionalidade ou pelos hábitos que tem no momento de ócio. O que faz falta no mundo é mais gente ruim de verdade e menos espertalhões limítrofes.

[Carlos Ruiz Zafón in A Sombra do Vento]
Img: Nina Dobrev in The Vampire Diaries

"Não é o bárbaro que nos ameaça, 
é a civilização que nos apavora."

[Euclides da Cunha]

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

"Do resto ninguém precisava saber. Quando falo de resto refiro-me ao que deu errado, ficou para trás, decepcionou, machucou. Falo das portas fechadas na cara, das pisadas no peito, tiradas maldosas de ar, ilusões da vida para nos dar uma rasteira. Falo daquilo que ninguém quer, mas que a gente faz o de sempre: passa por cima - ou finge que passa. E saí pela rua com a cara deslavada de quem é feliz. Ninguém, ninguém mesmo precisa saber do nosso esforço para tentar ser qualquer coisa além do que não deu certo." 

[Camila Costa]

"Não podemos prever as ações de outra pessoa, não mesmo. Outra pessoa é, no fundo do seu coração, desconhecida. E se não podemos conhecer uma pessoa o suficiente, para adivinhar do que ela é capaz, certamente não a conhecemos o suficiente para dominá-la, controlar seu comportamento, lutar, manipular, adular, cuidar ou acalmá-la para fazer o que deve ser feito ou não. As pessoas sempre farão o que quiserem. O segredo é admitir que não temos controle sobre esse fato."

[Deb Caletti in Um Lugar para Ficar]

"Destinos também têm cores 
– não sei até que ponto você escolhe
ou as coisas se armam e, 
quando você se dá conta, 
a cor já está ali."

[Caio F.]



"Também é ser, deixar de ser assim (...)
Eu deixo aroma até em meus espinhos
ao longe o vento vai falando em mim
E por perder-me é que me vão lembrando
É por desfolhar-me que não tenho fim"

[Cecília Meirelles]

"Nossas lembranças e os acontecimentos da nossa vida são coisas desorganizadas, gostaria de colocá-los em ordem e fechar essa porta, ou fazer o contrário para que eles ficassem conosco para sempre. (…) Mas as imagens são confusas e se misturam todas. Elas assombram como fantasmas, se misturam como convidados numa festa, com culpa e esperança, elas se juntam e vão embora. Elas se curvam e colidem, mesmo quando você ancora e a vela balança num lindo dia de setembro. Mesmo quando o barco balança levemente. No entanto, quando isso acontece, você percebe que tudo ainda está junto de você. Tudo. Você se lembra. A recordação e aquele vento são as coisas que empurram você para frente."

[Deb Caletti in Um Lugar para Ficar]

domingo, 25 de agosto de 2013

Orgulho nordestino

"Os nordestinos devem ficar quietos! Cale a boca, povo do Nordeste! 
Que coisas boas vocês têm pra oferecer ao resto do país? … Ou vocês pensam que são os bons só porque deram à literatura brasileira nomes como o do alagoano Graciliano Ramos, dos paraibanos José Lins do Rego e Ariano Suassuna, dos pernambucanos João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, ou então dos cearenses José de Alencar e a maravilhosa Rachel de Queiroz? Só porque o Maranhão nos deu Gonçalves Dias, Aluisio Azevedo, Arthur Azevedo, Ferreira Gullar, José Louzeiro e Josué Montello, e o Ceará nos presenteou com José de Alencar e Patativa do Assaré e a Bahia em seus encantos nos deu como herança Jorge Amado, vocês pensam que podem tudo? Isso sem falar no humor brasileiro, de quem sugamos de vocês os talentos do genial Chico Anysio, do eterno trapalhão Renato Aragão, de Tom Cavalcante e até mesmo do palhaço Tiririca, que foi eleito o deputado federal mais votado pelos… pasmem… PAULISTAS! E já que está na moda o cinema brasileiro, ainda poderia falar de atores como os cearenses José Wilker, Luiza Tomé, Milton Moraes e Emiliano Queiróz, o inesquecível Dirceu Borboleta, ou ainda do paraibano José Dumont ou de Marco Nanini, pernambucano. Ah! E ainda os baianos Lázaro Ramos e Wagner Moura, que será eternizado pelo “carioca” Capitão Nascimento, de Tropa de Elite, 1 e 2. Música? Não, vocês nordestinos não poderiam ter coisa boa a nos oferecer, povo analfabeto e sem cultura… Ou pensam que teremos que aceitar vocês por causa da aterradora simplicidade e majestade de Luiz Gonzaga, o rei do baião? Ou das lindas canções de Nando Cordel e dos seus conterrâneos pernambucanos Alceu Valença, Dominguinhos, Geraldo Azevedo e Lenine? Isso sem falar nos paraibanos Zé e Elba Ramalho e do cearense Fagner… E não poderia deixar de lembrar também da genial família Caymmi e suas melodias doces e baianas a embalar dias e noites repletas de poesia. Não podemos esquecer de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa e Maria Bethania. Ah! Nordestinos… Além de tudo isso, vocês ainda resistiram à escravatura? E foi daí que nasceu o mais famoso quilombo, símbolo da resistência dos negros á força opressora do branco que sabe o que é melhor para o nosso país? Por que vocês foram nos dar Zumbi dos Palmares? Só para marcar mais um ponto na sofrida e linda história do seu povo? Um conselho, pobres nordestinos: Vocês deveriam aprender conosco, povo civilizado do sul e sudeste do Brasil. Nós, sim, temos coisas boas a lhes ensinar. Por que não aprendem conosco os batidões do funk carioca? Deveriam aprender e ver as suas meninas dançarem até o chão, sendo carinhosamente chamadas de “cachorras”. Além disso, deveriam aprender também muito da poesia estética e musical de Tati Quebra-Barraco, Latino e Kelly Key. Sim, porque melhor que a asa branca bater asas e voar, é ter festa no apê e rolar bundalelê! (…) 
Minha mensagem então é essa: – Calem a boca, nordestinos! Calem a boca, porque vocês não precisam se rebaixar e tentar responder a tantos absurdos de gente que não entende o que é, mesmo sendo abandonado por tantos anos pelo próprio país, vocês tirarem tanta beleza e poesia das mãos calejadas e das peles ressecadas de sol a sol. Calem a boca, e deixem quem não tem nada pra dizer jogar suas palavras ao vento. Não deixem que isso os tire de sua posição majestosa na construção desse povo maravilhoso, de tantas cores, sotaques, religiões e gentes. Calem a boca, porque a história desse país responderá por si mesma a importância e a contribuição que vocês nos legaram, seja na literatura, na música, nas artes cênicas ou em quaisquer situações em que a força do seu povo falou mais alto e fez valer a máxima do escritor: “O SERTANEJO É, ANTES DE TUDO, UM FORTE!” Que o Deus de todos os povos, raças, tribos e nações, os abençoe, queridos irmãos nordestinos!”

[José Barbosa Junior]

P.S: E ainda faltou muito talento nordestino...

A verdadeira aventura

aventura não é escalar montanhas 
não é atravessar desertos
não é preciso bravura
aventura não é saltar de avião
não é descer cachoeira
não é preciso tontura
aventura não é comer bicho vivo
não é beber aguardente
não é preciso angustura
aventura não é morar em castelo
não é correr de ferrari
não é preciso frescura
aventura é tudo o que faz
uma pessoa tornar-se capaz
de abrir mão da loucura
aventura é ser mãe e pai

[Martha Medeiros]

sábado, 24 de agosto de 2013

"Quero uma dose de paz. E de amor. E de felicidade. E de sonho realizado. Quero pra mim. Quero pra você. Quero pra todo mundo que sente bem, que faz o bem, que se preocupa com o que é bom. Para o resto, quero só a justiça".

[Clarissa Corrêa]

sexta-feira, 23 de agosto de 2013


"...a vida é assim mesmo, ela tem fases. Algumas são coloridas, boas, alegrias. Outras são turbulentas, acinzentadas, estranhas. Tem ainda as difíceis, doloridas e negras. Só que tudo, mesmo que você não queira ou torça o nariz, passa. Então não tem muito jeito: é respirar fundo até sentir o ar te abraçar, chorar para mandar embora o medo, gritar para espantar a dor, arregaçar as mangas e trabalhar lado a lado com a fé."

[Clarissa Côrrea]

terça-feira, 20 de agosto de 2013

"Foi quando começou a não se importar tanto de sentir tanto medo, 
que ouviu o convite, ainda tímido, quase sussurro, do próprio coração, 
esse sabedor do que, de verdade, importa:

“Volta, com medo e tudo.”

Foi.

E começou a redescobrir que coragem, na maioria das vezes, 
é apenas voltar para o próprio coração. 
É apenas calar a ausência devastadora e infértil dele. 
É apenas sair do lugar para um ponto um pouquinho mais espaçoso 
e espalhador de sementes. É apenas seguir. Com medo e tudo."

[Ana Jácomo]

"E embora você seja o percalço, o solavanco, o sobressalto, o gênio forte, amarei eternamente a paz de sua presença amiga...seu diálogo curto... seu jeito bucólico de enxergar a vida, seu cinismo de dizer meias verdades... e sua fúria própria, indomável, marmorizada, de me amar sem limites. Por isso, passa o tempo, rompem-se alvoradas... esvai-se o nosso fiapo de vida... caem as estrelas... vão e voltam as estações com as flores... Morrem umas, nascem outras... E aqui dentro, igualmente, a verossimilhança que denuncia o brilho dos teus olhos ocultos, você não passa. Você não sara. Você não finda. Você não seca. Você não cessa. Você não morre. 

[Vera Fornaciari ]

”Há em você alguma coisa de mim. Alguma coisa que eu vejo e me acalma.Como se eu pudesse deitar de novo no lugar de onde vim, pois só você sabe que lugar é esse. Então você me entende... E eu não me entendo tanto quanto entendo de ti. Talvez isso seja amor. Talvez não. Seja lá o que for, é incondicional.”

[Fernanda Young]

Remexo dentro de mim,
nem sempre é fácil
saber a parte de nós
que ficou no caminho:
toco... faço a ferida arder.
Sentir a ferida, é a maneira
mais rápida de curá-la.
Nada em mim foi covarde,
nem mesmo as desistências:
desistir, ainda que não pareça,
foi meu grande gesto de coragem.

[Cáh Morandi]

"Chega uma hora, em que você entende que o que as pessoas falam, é só o que elas falam.

E não o que você é.
Não atinge, não incomoda, não ofende.
Porque você só se culpa, se sua consciência permitir.
E se ela está tranquila, qualquer tipo de ataque alheio, é o mesmo que nada.
Aí você aprende que cada um oferece o que tem.
E você pára de revidar, de se preocupar, de se abalar com julgamento de quem vive de mal com a vida.
Você percebe que atrai o que transmite, e passa a usar seu tempo só com quem te faz bem. E aí, fica em paz.
Porque a gente ganha uma briga, quando 'foge' dela."

"Dar ouvidos para a maldade, é prolongar o mal."

[Karla Tabalipa]

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

"Quem nasce com coração?...

...

Coração tem que ser feito.
Já tenho uma porção 
Me infernizando o peito.

Com isso ninguém nasça.
Coração é coisa rara, 
Coisa que a gente acha.
E é melhor encher a cara."

[Paulo Leminski]

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Conta pra mim


Conta pra mim de onde a gente se conhece. 
De onde vem a sensação de que sempre esteve aqui, quando eu sei que não estava.
Conta por que nada do que diz sobre você me parece novidade, 
como se eu estivesse lá, nos lugares que relembra, quando eu sei que não estive. 
Conta onde nasce essa familiaridade toda com os seus olhos. 
Onde nasce a facilidade para ouvir a música de cada um dos seus sorrisos. 
Onde nasce essa compreensão das coisas que revela quando cala. 
Conta de onde vem a intuição da sua existência tanto tempo antes de nos encontrarmos.

Conta pra mim de onde a gente se conhece.
De onde vem o sentimento de que a sua história, absolutamente nova, é como um livro 
que releio aos poucos e, ao longo das páginas, apenas recordo trechos que esqueci.
Conta de onde vem a sensação de que nos conhecemos muito mais do que imaginamos. 
De que ouvimos muito além do que dizemos. 
De que as palavras, às vezes, são até desnecessárias. 
Conta de onde vem essa vontade que parece tão antiga de que os pássaros cantem
perto da sua janela quando cada manhã acorda. De onde vem essa prece que repito
a cada noite, como se a fizesse desde sempre, para que todo dia seu possa dormir em paz.

Conta pra mim de onde a gente se conhece. 
De onde vem essa repentina admiração tão perene.
De onde vem o sentimento de que nossas almas dialogavam 
muito antes dos nossos olhos se tocarem. 
Conta por que tudo o que é precioso no seu mundo me parece que já era também no meu. 
De onde vem esse bem-querer assim tão fácil, assim tão fluido, assim tão puro.
Conta de onde vem essa certeza de que, de alguma maneira, a minha vida 
e a sua seguirão próximas, como eu sinto que nunca deixaram de estar.

Conta pra mim por que, por mais que a gente viva, 
o amor nos surpreende tanto toda vez que vem à tona.

[Ana Jácomo]

"...dividir é muito bom, compartilhar com o outro pode ser incrível, mas nada tira da minha cabeça que nossas maiores transformações acontecem quando estamos a sós. E são essas mudanças e descobertas as responsáveis pelo encanto que causamos. Graças a elas os encontros articulados pela vida podem ser tão bons. 

Momentos solitários são como treinamentos, uma espécie de ensaio. Encarar a si mesmo é um preparo necessário para encarar os outros. Vai encarar?"


[Fernanda Gaona]

sábado, 10 de agosto de 2013

Espera...

Eu espero alguém que não desista de mim mesmo quando já não tem interesse. 
Espero alguém que não me torture com promessas de envelhecer comigo, que realmente envelheça comigo. 
[...]que me faça ser mais amigo dos meus amigos e mais irmão dos meus irmãos. 
Espero alguém que não tenha medo do escândalo, mas tenha medo da indiferença. 
Espero alguém que ponha bilhetinhos dentro daqueles livros que vou ler até o fim. 
Espero alguém que se arrependa rápido de suas grosserias e me perdoe sem querer. 
Espero alguém que me avise que estou repetindo a roupa na semana. 
Espero alguém que nunca abandone a conversa quando não sei mais falar. 
Espero alguém que, nos jantares entre os amigos, dispute comigo para contar primeiro como nos conhecemos. 
Espero alguém que goste de dirigir para nos revezarmos em longas viagens. 
Espero alguém disposto a conferir se a porta está fechada e o café desligado, se meu rosto está aborrecido ou esperançoso. 
Espero alguém que prove que amar não é contrato, que o amor não termina com nossos erros. 
Espero alguém que não se irrite com a minha ansiedade. 
Espero alguém que possa criar toda uma linguagem cifrada para que ninguém nos recrimine. 
Espero alguém que arrume ingressos de teatro de repente, que me sequestre ao cinema, que cheire meu corpo suado como se ainda fosse perfume. 
Espero alguém que me olhe demoradamente quando estou distraído, que me telefone para narrar como foi seu dia. 
[...]
Espero alguém que procure um espaço acolchoado em meu peito. 
Espero alguém que minta que cozinha e só diga a verdade depois que comi. 
Espero alguém que fique me chamando para dormir, que fique me chamando para despertar...
Espero alguém com uma vocação pela metade, uma frustração antiga, um desejo de ser algo que não se cumpriu, uma melancolia discreta, para nunca ser prepotente. 
Espero alguém que tenha uma risada tão bonita que terei sempre vontade de ser engraçado. 
Espero alguém que comente sua dor com respeito e ouça minha dor com interesse. 
[...]
Espero alguém que pinte o muro onde passo, que não se perturbe com o que as pessoas pensam a nosso respeito. 
Espero alguém que vire cínico no desespero e doce na tristeza. 
Espero alguém que curta o domingo em casa, acordar tarde e andar de chinelos, e que me pergunte o tempo antes de olhar para as janelas. 
[...]
Espero alguém que tenha pressa de mim, eternidade de mim, que chegue logo...


[Fabrício Carpinejar in  "Espero Alguém" (Bertrand Brasil, 2013)]

terça-feira, 6 de agosto de 2013

"Talvez eu não perceba, mas devo ter conseguido coisas boas daquele amor. Ele era engraçado. Ele era esquisito. Ele dizia que eu era linda. E me fazia ter coragem. Ou melhor: fazia-me ver a coragem que há em mim.

[Fernanda Young]

Amores impossíveis

Desculpem o trocadilho infame, mas a vida é feita de altos e baixos. Altos, fortes, morenos, sensuais, possíveis e aquele baixinho, meio esquisito, que não sai da sua cabeça. 
Impressionante como a gente sofre por nada. Um cheiro que mexe com você, um jeito de olhar contido, uma ideia inteligente, várias na verdade. Não, não é nada disso, a gente sofre é pela impossibilidade
Desde que o mundo é mundo não há nada mais afrodisíaco do que a proibição. 
E se a Julieta tivesse visto o Romeu acordar com mau hálito? E se o Romeu descobrisse o chulé da Julieta? Convivência é foda. 
Pois é, aquele baixinho esquisito não pertence ao grupo dos amores possíveis, a graça dele pode durar uma eternidade, dependendo do seu grau de estupidez criativa. 
Ele não quer nada com você, já tem alguém, pertence a um caminho que passa longe do seu, sabe cumé? Pertence ao campo dos idealizados, sonhados e distantes, o que faz dele enorme, lá no pedestal. 
E nada melhor do que as lacunas da improbabilidade para esquentar uma paixão. Nessas lacunas você tem espaço para criar a história como quiser, ganha poder, inventa. Ele é seu, seu personagem. 
Nesses espaços livres você coloca todos os seus sonhos, toda a sua imaginação. Cenas completas com fundo musical e palavras certas, finais e desfechos inesperados. 
Quando você menos espera, ele faz mais parte da sua vida do que você mesma. 
Mas a realidade aparece mais cedo ou mais tarde, vem como uma angústia. Parece vontade de fazer xixi, mas é tesão reprimido. Tesão reprimido deve dar câncer. Era só um cara interessante, agora pode te matar. 
Pronto, você está apaixonada. E a paixão tem suas etapas. 
Primeiro a negação: eu apaixonada? Imagina. Ele é impossível, nunca vai me dar bola, muito menos duas com o que eu quero no meio. 
Depois a maximização: ele é mais inteligente, mais bonito, mais engraçado. E todos os mais possíveis para que ele seja mais desafio para você, mais inveja para as suas amigas, se você aparecer com ele na festa, mais fadinhas dançantes para fazer cosquinha no seu ego problemático. 
Daí é a vez da "superlativização": em vez de ser mais, ele é "o mais", o mais fodido, o mais inteligente e o mais gostoso. 
E você está a um passo do endeusamento: "ele é único", aí fodeu. 
Se ele é único, ele é a sua única chance de ser feliz. E, se ele não quer nada com você, você acaba de perder a sua única chance de ser feliz. Bem-vinda à depressão. 
Como você é ridícula, amor platônico é para adolescentes. 
Lá fora há milhares de possibilidades de felicidade, de felicidades possíveis. De realidade. E você eternamente trancada na porta que o mundo fechou na sua cara. Fazendo questão de questionar e atentar o inexistente. 
Vá viver um grande amor. 
Olha, faça um favor para mim, antes de tremer as pernas pelo inconquistável e apagar as luzes do mundo por um único brilho falso, olhe dentro de você e pergunte: estupidez, masoquismo ou medo de viver de verdade? 

[Tati Bernardi]
Img: Eric Bana e Rachel McAdams in Te Amarei Para Sempre

domingo, 4 de agosto de 2013

Tempo certo

"Chega um tempo em que você não se preocupa com o tempo. Se lembra apenas que esqueceu a ansiedade pelo caminho, que deixou de berrar pra provar que esta com a razão, que desistiu de esperar demais das pessoas, pois descobriu que pessoas oferecem o que são. Aprende a sorrir dos que subestimam sua inteligência. Desaprende de se justificar porque sabe que quem te ama, te entende, te aceita e te quer por perto apesar de você ser quem é. 

Chega um tempo em que você prefere estudar (viver) humanas que exatas, pois descobre que coração não entende de exatidão.

Chega um tempo em que você para de olhar, aprende a enxergar. Para de correr, aprende a caminhar. Para de gritar, aprende a assoviar.

Chega um tempo em que você deixa as expectativas de futuro para os mais apressados e prefere descansar nos braços do agora. Se despede de todos os ontens, pois sabe que sua história mais interessante será escrita hoje.

Chega um tempo em que você joga a palavra felicidade no google e não encontra nada, pois ela esta dormindo ao seu lado, esta no telefone com suas vozes infantis preferidas, esta no abraço grande do seu irmão, esta na resposta da sua oração. 

Chego a me perguntar se me perdi no tempo, pois não reconheço a garota de anos atrás, a mulher de um dia desses. Talvez tenha chegado atrasada no encontro que marquei com o tempo. Confesso que não me decepcionei ao olhar nos olhos da mulher diante do espelho, uma mulher que ainda não desvendei. Mas ela não assusta, pois estou prestes a descobrir."

[Renata Fagundes]

sábado, 3 de agosto de 2013

"No fundo, alguma coisa me diz que vai dar tudo certo. Que os caminhos são tortos mas a chegada é certa. Que há coisas bonitas esperando lá na frente, se a gente acredita. E eu acredito! Vivo de acreditar. E acredito, que o que importa mesmo, não são as pedras que encontro pelo caminho, mas sim, as flores, que carrego comigo. Dentro do coração."

[Monalisa Macêdo]

Eu te amo , meu amor, e amo mais a mim por isto. Não há perecividade no que digo. Mas há o que escavar na alma que não participa deste par. É processo individual e solitário o de realizar-se antes. Não sei se tão comprido este horizonte pros teus olhos. Descreva-me então qual teu sonho mais bonito. Não há um canto triste nem aquele olhar melancólico. Embora a leveza seja um trabalho árduo. Eu que nasci tragicamente profunda, agora tendo que aprender a brincar. E a ser adulta. E por te amar é que preciso, às vezes, acolher minha solidão...e silenciar. 

[Marla de Queiroz]

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

"O dia não corre ao meu lado, mas mora dentro de mim. Sou centelha do Universo, um átomo da Existência inteira. Meu tamanho me conforta, não preciso dar conta do Mundo todo, mas dos acontecimentos ao redor. Posso doar esta parcela de tempo que é o que tenho e o afeto que em mim vigora. Não importa a quantidade se ela é feita de tudo o que possuo agora. Nada busco, tenho o necessário e isto é o que chamo de ter o que é raro. Toda minha riqueza está em meu coração. Toma! É teu meu abraço, olfato e tato, aconchegue-se em meu peito, esqueça o pronome, preencha o sujeito: somos extensão."

[Marla de Queiroz]

;;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates