quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

"Pra amar, tem que conhecer. Pra amar, tem que se perceber. Pra amar, tem que doer um pouco. Porque dói, é uma descoberta, é uma mudança, é um se ver no outro, é um ver o outro exatamente como ele é - e ainda assim amar."

[Clarissa Corrêa]

O amor


O amor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato. O amor comeu minha certidão de idade, minha genealogia, meu endereço. O amor comeu meus cartões de visita. O amor veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome.
O amor comeu minhas roupas, meus lenços, minhas camisas. O amor comeu metros e metros de gravatas. O amor comeu a medida de meus ternos, o número de meus sapatos, o tamanho de meus chapéus. O amor comeu minha altura, meu peso, a cor de meus olhos e de meus cabelos.


O amor comeu meus remédios, minhas receitas médicas, minhas dietas. Comeu minhas aspirinas, minhas ondas-curtas, meus raios-X. Comeu meus testes mentais, meus exames de urina.

O amor comeu na estante todos os meus livros de poesia. Comeu em meus livros de prosa as citações em verso. Comeu no dicionário as palavras que poderiam se juntar em versos.

Faminto, o amor devorou os utensílios de meu uso: pente, navalha, escovas, tesouras de unhas, canivete. Faminto ainda, o amor devorou o uso de meus utensílios: meus banhos frios, a ópera cantada no banheiro, o aquecedor de água de fogo morto mas que parecia uma usina.

O amor comeu as frutas postas sobre a mesa. Bebeu a água dos copos e das quartinhas. Comeu o pão de propósito escondido. 

Bebeu as lágrimas dos olhos que, ninguém o sabia, estavam cheios de água.

O amor voltou para comer os papéis onde irrefletidamente eu tornara a escrever meu nome.

O amor roeu minha infância, de dedos sujos de tinta, cabelo caindo nos olhos, botinas nunca engraxadas. O amor roeu o menino esquivo, sempre nos cantos, e que riscava os livros, mordia o lápis, andava na rua chutando pedras. Roeu as conversas, junto à bomba de gasolina do largo, com os primos que tudo sabiam sobre passarinhos, sobre uma mulher, sobre marcas de automóvel.

O amor comeu meu Estado e minha cidade. Drenou a água morta dos mangues, aboliu a maré. Comeu os mangues crespos e de folhas duras, comeu o verde ácido das plantas de cana cobrindo os morros regulares, cortados pelas barreiras vermelhas, pelo trenzinho preto, pelas chaminés. Comeu o cheiro de cana cortada e o cheiro de maresia. Comeu até essas coisas de que eu desesperava por não saber falar delas em verso.

O amor comeu até os dias ainda não anunciados nas folhinhas. Comeu os minutos de adiantamento de meu relógio, os anos que as linhas de minha mão asseguravam. Comeu o futuro grande atleta, o futuro grande poeta. Comeu as futuras viagens em volta da terra, as futuras estantes em volta da sala.

O amor comeu minha paz e minha guerra. Meu dia e minha noite. Meu inverno e meu verão. Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte.


[João Cabral de Melo Neto in: Obras Completas]
img: James Marsters  in Buffy, A Caça Vampiros

Diferenças de pensamentos


– É bom pensar, sonhar consola.
– Consola, talvez; mas faz-nos também diferentes dos outros, cava abismos entre os homens…”.


[Lima Barreto in Triste Fim de Policarpo Quaresma]

Coração Indomável

Meu  novo Crush  é uma novela da Televisa : Coração Indomável.  

DA WIIKIPEDIA: Corazón indomable (no Brasil Coração Indomável) é uma telenovela mexicana produzida por Nathalie Lartilleux para a Televisa e exibida pelo Canal de las Estrellas, entre 25 de fevereiro e 6 de outubro de 2013. A trama é baseada na telenovela venezuelana La indomable, escrita por Inés Rodena em 1974, que originou outras duas adaptações mexicanas, La venganza e Marimar, produzidas em 1977 e 1994, respectivamente. A trama é protagonizada por Ana Brenda Contreras e Daniel Arenas e antagonizada por Elizabeth ÁlvarezRocío Banquells,Ingrid Martz e René Strickler. Foi exibida no Brasil pelo SBT entre 23 de fevereiro a 16 de outubro de 2015, em 170 capítulos.

Na minha conta da Netflix só dá ela. Em um primeiro momento pensei que seria a mesma história de Marimar e que não ía superar, mas gente superou minhas expectativas, ultrapassou  e é a coisa mais linda do mundo esse casal,  amo essa novela. Comecei a assistir quando passou no SBT, mas não  me apeguei logo, por isso depois de um tempo fui assistir no youtube e agora assisto na Netflix sempre que dá saudade. Aqui  vai  a letra tema do Casal, e um  clipe pra vcs.

video



Perdóname [Camilo Blanes]

Solo vengo, a decirte que mi mundo está incompleto
Porque llevo solo a bordo un pasajero
En este viaje me acompaña tu dolor

Solo vengo a enseñarte un corazón que está muriendo
Y me han dicho que ya no tiene remedio
Pero yo se que el remedio esta en tu voz

Solo vengo a pedirte perdón por el mal que le hice a tu amor
Arrepentido estoy
Regresa a mi por favor

Amémonos de nuevo como antes
Robémonos la luna en este instante
Y olvídate, olvídate
Déjame intentar recuperarte

Amémonos con todos los sentidos
Regrésame tu amor aquí conmigo
Y olvídate, olvídate
Que nada volverá a lastimarte

Solo vengo a tomar medio segundo de tu tiempo
Para hacerlo con un beso un día entero
Y recuerdes el amor entre tú y yo

Solo vengo a pedirte perdón por el mal que le hice a tu amor
Arrepentido estoy
Regresa a mi por favor

Amémonos de nuevo como antes
Robémonos la luna en este instante
Y olvídate, olvídate
Déjame intentar recuperarte

Amémonos con todos los sentidos
Regrésame tu amor aquí conmigo
Y olvídate, olvídate
Que nada volverá a lastimarte

Aleja aquellas sombras del pasado
Hoy puedo ver que tanto te eh fallado
Perdóname por ser tan tonto sin querer
Fui un ciego al alejarme de tu lado
Amémonos de nuevo como antes
Robémonos la luna en este instante
Y olvídate, olvídate
Déjame intentar recuperarte

Amémonos con todos los sentidos
Regrésame tu amor aquí conmigo
Y olvídate, olvídate
Que nada volverá a lastimarte

TRADUÇÃO

Perdoar

Eu só venho, dizer que meu mundo está incompleto
Porque levo só a bordo um passageiro
Nesta viaje me acompanha sua dor

Eu só venho para mostrar-lhe um coração que está morrendo
E já me disseram que já não tem remédio
Mas eu sei que o remédio está na sua voz

Só venho te pedir perdão pelo mal que fiz ao seu amor
Arrependido estou
Volta pra mim por favor

Vamos nos amar novamente como antes
Roubemos a lua neste instante
E esquecer, esquecer
Deixe-me tentar te recuperar

Amemos com todos os sentidos
Devolva-me o seu amor aqui comigo
E esquecer, esquecer
Que nada vai te machucar

Eu só venho pegar meio segundo do seu tempo
Para fazer um beijo durar um dia inteiro
E você se lembrar do amor entre você e eu

Só venho te pedir perdão pelo mal que fiz ao seu amor
Arrependido estou
Volta pra mim por favor

Vamos amar novamente como antes
Roubemos lua neste instante
E esquecer, esquecer
Deixe-me tentar te recuperar

Amemos com todos os sentidos
Devolva-me o seu amor aqui comigo
E esquecer, esquecer
Que nada vai te machucar

Acabe com aquelas sombras do passado
Hoje posso ver o quanto você perdeu
Perdoe-me por ser tão estúpido sem querer
Eu estava cego para deixar o seu lado
Vamos amar novamente como antes
Robémonos a lua neste instante
E esquecer, esquecer
Deixe-me tentar se recuperar

Amemos com todos os sentidos
Devolva-me o seu amor aqui comigo
E esquecer, esquecer

Que nada vai te machucar

Pessoas que lutam

“Há muito de nós por aí, mais do que você imagina.
Pessoas que se recusam a deixar de acreditar. 
Pessoas que se recusam a pôr os pés no chão. 
Pessoas que amam em um mundo sem muros, 
pessoas que amam em meio ao ódio, em meio à recusa, 
com esperança e sem medo.” 

[Lauren Oliver in Delírio]

Talvez um dia

"Pra mim, é praticamente impossível construir a vida sobre um alicerce de caos, sofrimento e morte. Vejo o mundo se transformando aos poucos numa selva, ouço o trovão que se aproxima e que, um dia, irá nos destruir também, sinto o sofrimento de milhares. E, mesmo assim, quando olho pra o céu, sinto de algum modo que tudo mudará para melhor, que a crueldade também terminará, que a paz e a tranquilidade voltarão. Enquanto isso, devo me agarrar aos meus ideais. Talvez chegue o dia em que eu possa realizá-los!”.

[Anne Frank]

"Não é a vida que dificulta as coisas.
As pessoas é que tem muito medo de mudar
Para arriscar uma felicidade que não é garantida.
Todo mundo tem
um trauma,
um medo,
algo que paralise.
Mas transformar isso em espaço
pra crescer
pouca gente faz."
[ Marla de Queiroz]

Nada foi errado. Nada foi feio. 
Nada. 
Chorei vendo você ir embora com medo de não te ver mais. 
Mas sempre te encontro. Sempre. 
Aqui dentro.

Seja como for, vai dar tudo certo.
Pra você e pra mim.
Um beijo
Boa sorte 

[Vanessa leonardi]

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

A morte do amor

O amor nunca morre de morte natural. Añais Nin estava certa. 
Morre porque o matamos ou o deixamos morrer. 
Morre envenenado pela angústia. Morre enforcado pelo abraço. Morre esfaqueado pelas costas. Morre eletrocutado pela sinceridade. Morre atropelado pela grosseria. Morre sufocado pela desavença. 
Mortes patéticas, cruéis, sem obituário e missa de sétimo dia. 
Mortes sem sangramento. Lavadas. Com os ossos e as lembranças deslocados. 
O amor não morre de velhice, em paz com a cama e com a fortuna dos dedos. 
Morre com um beijo dado sem ênfase. Um dia morno. Uma indiferença. Uma conversa surda. Morre porque queremos que morra. Decidimos que ele está morto. Facilitamos seu estremecimento. 
O amor não poderia morrer, ele não tem fim. Nós que criamos a despedida por não suportar sua longevidade. Por invejar que ele seja maior do que a nossa vida. 
O fim do amor não será suicídio. O amor é sempre homicídio. A boca estará estranhamente carregada. 
Repassei os olhos pelos meus namoros e casamentos. Permiti que o amor morresse. Eu o vi indo para o mar de noite e não socorri. Eu vi que ele poderia escorregar dos andares da memória e não apressei o corrimão. Não avisei o amor no primeiro sinal de fraqueza. No primeiro acidente. Aceitei que desmoronasse, não levantei as ruínas sobre o passado. Fui orgulhoso e não me arrependi. Meu orgulho não salvou ninguém. O orgulho não salva, o orgulho coleciona mortos. 
No mínimo, merecia ser incriminado por omissão. 
Mas talvez eu tenha matado meus amores. Seja um serial killer. Perigoso, silencioso, como todos os amantes, com aparência inofensiva de balconista. Fiz da dor uma alegria quando não restava alegria. 
Mato; não confesso e repito os rituais. Escondo o corpo dela em meu próprio corpo. Durmo suando frio e disfarço que foi um pesadelo. Desfaço as pistas e suspeitas assim que termino o relacionamento. Queimo o que fui. E recomeço, com a certeza de que não houve testemunhas. 
Mato porque não tolero o contraponto. A divergência. Mato porque ela conheceu meu lado escuro e estou envergonhado. Mato e mudo de personalidade, ao invés de conviver com minhas personalidades inacabadas e falhas. 
Mato porque aguardava o elogio e recebia de volta a verdade. 
O amor é perigoso para quem não resolveu seus problemas. O amor delata, o amor incomoda, o amor ofende, fala as coisas mais extraordinárias sem recuar. O amor é a boca suja. O amor repetirá na cozinha o que foi contado em segredo no quarto. O amor vai abrir o assoalho, o porão proibido, fazer faxina em sua casa. Colocar fora o que precisava, reintegrar ao armário o que temia rever. 
O amor é sempre assassinado. Para confiarmos a nossa vida para outra pessoa, devemos saber o que fizemos antes com ela.

[Fabrício Carpinejar]

domingo, 14 de fevereiro de 2016

O que falta em mim

"Acordei hoje com tal nostalgia de ser feliz. Eu nunca fui livre na minha vida inteira. Por dentro eu sempre me persegui. Eu me tornei intolerável para mim mesma. Vivo numa dualidade dilacerante. Eu tenho uma aparente liberdade mas estou presa dentro de mim. Eu queria uma liberdade olímpica. Mas essa liberdade só é concedida aos seres imateriais. Enquanto eu tiver corpo ele me submeterá às suas exigências. Vejo a liberdade como uma forma de beleza e essa beleza me falta”.

[Clarice Lispector in Um Sopro de Vida]

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Estar em perigo e ser salvo

— Sabe, docinho, existem duas coisas importantes no mundo: estar em perigo e ser salvo.

Pensei em May por um instante. E perguntei:

— Você acha que corremos perigo de propósito, para sermos salvos?

— Sim, às vezes. (…)

— Mas, se essas são as coisas importantes, onde se apaixonar se encaixa?

— Sabe por que se apaixonar é o que pode acontecer de mais profundo com uma pessoa? Porque quando estamos apaixonados, estamos totalmente em perigo e completamente salvos, os dois ao mesmo tempo.

[Ava Dellaira in Cartas de Amor aos Mortos]
Img::  Eric Dane e Chyler Leigh in Grey's Anatomy

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

O adulto está em falta

"Não é perigoso? Não estou velha demais pra isso? Na esperança de que o simples decorrer da manhã respondesse naturalmente essas perguntas, fui comprar repelente na farmácia aqui perto de casa. A atendente, então, respondeu: "O adulto está em falta". Entendi aquela frase como uma mensagem dos deuses. Vá, desgraçada, divirta-se. O adulto está em falta hoje! Abrace as ruas, as pessoas, receba esse sopro de purpurinas prateadas no peito. Sejamos crianças de novo!"

[Tati Bernardi]

A leitura em minha vida

"Os livros deram a Matilda a reconfortante 
mensagem:  Você não  está sozinha."

"Sempre fui leitora, sempre estive rodeada de livros. Com as leituras que faziam para mim comecei a entrar neles antes mesmo de saber ler formalmente. E ao longo do tempo ela me transmitiu a certeza – palpável porque entretecida no meu viver – de que literatura é prazer e é aprendizado, é um importante diálogo com o mundo, é estruturante. Sem as leituras que fiz, sem aquilo tudo que a leitura me trouxe, eu não seria eu, não saberia me viver”.

[Marina Colasanti in Nos Caminhos da Literatura]
Img:  Mara Wilson in  Matilda

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

O amor que mereces

Tu mereces um amor que te queira despenteada, com todas as razões que te levantam, 
com todos os demônios que não te deixam dormir.
Tu mereces um amor que queira dançar contigo, que visite o paraíso cada vez que olhar em teus olhos, 
e que nunca se canse de ler tuas expressões.
Tu mereces um amor que te escute quando cantas, que te apoie em teus ridículos, que respeite tua liberdade,
que te acompanhe em teu voo, e não te faça cair.
Tu mereces um amor que leve as mentiras 
e traga as fantasias, café e poesia.

[Frida Kahlo]

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Escolhas e atitudes

A gente dá muita cabeçada até entender como as coisas funcionam. Tem gente que na primeira já acorda. Alguns, como eu, precisam ter quase um pedaço da cabeça arrancado para começar a ter a exata compreensão das coisas.
Eu tenho o costume de sofrer muito por esperar dos outros uma atitude que não vem. Pode ser da mãe, do pai, do amigo, do colega de trabalho, do namorado, do mosquito que faz barulho chato no ouvido no meio da noite. Eu espero porque eu faço. Me dou de bandeja, mas nem sempre
consigo me perdoar. E preciso entender que as coisas não vão ser como eu quero.
Sempre acreditei que a vida era bonita – e ela é. Mas a vida é difícil porque as relações são difíceis. Uma pessoa nãoé igual a outra. Cada um tem sua história. Cada um faz a sua história. Eu tenho a minha personalidade, você tem a sua. Eu cedo, você cede
E existem também aqueles que nunca querem ceder e pensam que estão sempre certos. Existem diversos tipos de criaturas no mundo e, acredite, é você que escolhe quem quer ter ao lado.
Fiz muitas escolhas. A maioria, hoje percebo, foram corretas. Existe um momento, que é mágico, em que você precisa decidir se corre ou se fica. Normalmente, escolho ficar. Hoje eu vejo claramente. Em todas as vezes, assumo sem pudor, a minha vontade era de correr. Mas eu fiquei. Até onde eu conseguia, fiquei. Quando não dava mais eu pulava fora. E falo isso de todas as situações que vivi. Por isso, sou muito corajosa. Teve gente que já duvidou dessa minha força, mas eu enfrento o que vem pela frente, sim. Se uma coisa é importante para mim eu vou até o fim, mesmo que o mundo me diga para não continuar.
Nunca entrei no Clube Da Maria Vai Com As Outras. Sempre tive uma opinião consistente, um gênio fortíssimo. Não gosto nem desgosto disso, apenas convivo e me aceito. Entendi que preciso me aceitar mais sem querer buscar coisas que nunca vou ser. Evoluir é importante, mas aceitar quem somos é essencial.
Insisto nas escolhas. Você escolhe a vida que quer. Você escolhe as pessoas que quer. Você escolhe o futuro que quer. Eu escolhi o meu. Descobri, aos 30 anos, que a vida não é cor de rosa nem rosa choque. Nem rosa bebê. Nem rosa antigo. A vida tem muitas cores e, definitivamente, não é um conto de fadas. De vez em quando ela é desenho, musical, comédia, drama, ficção científica, suspense, animação, terror. E quer saber? Ainda bem. Sempre gostei de viver todas as emoções possíveis.

[Clarissa Côrrea in Todas as emoções possíveis]

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

"Tem sempre presente, que a pele se enruga, que o cabelo se torna branco, que os dias se convertem em anos, mas o mais importante não muda! Tua força interior e tuas convicções não tem idade. Teu espírito é o espanador de qualquer teia de aranha. Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida. Atrás de cada triunfo, há outro desafio. Enquanto estiveres vivo, sente-te vivo. Se sentes saudades do que fazias, torna a fazê-lo. Não vivas de fotografias amareladas. Continua, a pesar de todos esperarem que abandones. Não deixes que se enferruje o ferro que há em você. Faz com que em lugar de pena, te respeitem. Quando pelos anos não consigas correr, trota. Quando não possas trotar, caminha. Quando não possas caminhar, usa bengala. Mas nunca te detenhas”.

[Camille Claudel]

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Casar vs morar junto

Casar e morar junto são duas coisas completamente diferentes. Não tem nada a ver com seu status no cartório. Tem a ver com entrega.
Você pode casar com todas as honras. Dar uma festa linda. Gastar os tubos na Lua de Mel. Se mudar com o marido para um apartamento lindo. pronto. decorado. cheio de almofadas em cima da cama… Vocês podem ter se casado – mas vão demorar muito pra saber o que é morar junto. Acho que existem casais que se casam com pompas, e nunca talvez tenham realmente morado juntos.
Morar junto é saber dividir. Saber cobrar. Saber ceder. Saber doar.
Morar junto é dividir as contas e as almas.
Morar junto é ter um pilha de louça pra lavar, depois de um dia terrível de 10 horas de trabalho. E o outro cantar com você para que, em um karaokê com detergente, o trabalho se torne divertido.
Morar junto é ter que assistir Homem Aranha no Telecine Action, e se esforçar para achar legal.
Morar junto é tomar banho junto.Transformar o chuveiro em uma cachoeira. (e o banheiro em um charco)
Morar junto é ouvir onde dói no outro. Do que ele sente medo. Onde ele é criança. O que o deixa frágil.
Morar junto é poder chorar sem parar. E ser ouvida. E cuidada. Mas é também rir. E achar graça em alguma coisa, quando o outro está pra baixo.
Morar junto é fazer contabilidade de frustrações, e saber quando não colocar na conta do outro.
Morar junto é demorar para levantar.
Morar junto não precisa de uma casa, e sim de um espaço.
Quem mora junto geralmente é solidário. Casar não. Qualquer um casa. Pra casar basta assinatura e champanhe. Casar leva umas horas. Morar junto leva tempo. O tempo todo.
Quando moramos juntos vemos o cabelo dele crescer e ela cortar uma franja.
Quando moramos juntos viramos adultos aos pouquinhos, dando um adeus doído ao adolescente que éramos.
Quando moramos junto mudamos junto. E o outro vira um outro diferente com os anos. E nós vamos aprendendo a amar aquela nova pessoa, todo dia.
Até o dia que, talvez, deixemos de morar juntos.

[Roberta Nader, para o blog A Vida em Posts“]

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Mas que seja inteiro

Que doa. Que rasgue cada véu de ilusão que foi criada. Que as lágrimas escorram gordas pela face impassível, que se derramem as retinas se o pranto de água e sal não for suficiente. Que entorpeça, que me leve à beira da loucura essa sutura mal feita. Ferida que não cicatrizou, eu estava certa. Havia uma infecção emocional que apenas um bisturi poderia extirpar. Que seja. Não faço mais curativos e nem lanço mão de placebos. Que seja insônia, agonia, desespero se for este o caso. Não conheço vida sem quaisquer umas destas emoções. Mas que venha tudo: o cru, o imundo, o insuportável. Que eu possa sentir até o fundo dos poros, que todo o veneno amoleça minhas veias, que a dor, antes obsoleta, pois a vida exigia uma sucessão de alegrias, me corroa com inteireza.
Mas que eu renasça... E cresça.
E que possa receber, após esta limpeza, a paz.
Desejo coragem para quem nasceu pra sentir demais.

[Marla de Queiroz]
img:Lana Parrilla in Once Upon a Time

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Lutar a cada dia

Na vocação para a vida está incluído o amor, inútil disfarçar, amamos a vida. E lutamos por ela dentro e fora de nós mesmos. Principalmente fora, que é preciso um peito de ferro para enfrentar essa luta na qual entra não só o fervor, mas uma certa dose de cólera, fervor e cólera. Não cortaremos os pulsos, ao contrário, costuraremos com linha dupla todas as feridas abertas.

[Lygia Fagundes Telles]

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

"A vida não é uma música. A vida não é alegria. 
A vida é só isso. É viver.
Você se acostuma. 
A dor que você sente só você pode curar... vivendo.
Você tem que continuar vivendo para um de nós estar vivendo"

[Spike (James Masters) cantando trecho da música  Something To Sing About (Life's a Show) em Once More with feelin no Episódio 07 da sexta temporada de Buffy A caça Vampiros]
Img: Quote de Buffy (Sarah Michelle Gellar 
e Spike  (James Marsters)  in Buffy a Caça Vampiros, Ep: 6x07

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Vamos viver

"Se te quiserem convencer de que é impossível, diz-lhes que impossível é ficares calado, impossível é não teres voz. Temos direito a viver. Acreditamos nessa certeza com todas as forças do nosso corpo e, mais ainda, com todas as forças da nossa vontade. Viver é um verbo enorme, longo. Acreditamos em todo o seu tamanho, não prescindimos de um único passo do seu/nosso caminho”.

[José Luis Peixoto in Abraço]

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Costurar as feridas e amar o inimigo que odiar faz mal ao fígado, isso sem falar no perigo da úlcera, lumbago, pé frio. Amar no geral e no particular e quem sabe nos lances desse xadrez-chinez imprevisível. Ousar o risco. Sem chorar, aprendi bem cedo os versos exemplares. Não chores que a vida é luta renhida.

[Lygia Fagundes Telles]

Ainda assim,
o sol aquecia.
Ainda assim,
superavam-se os golpes.
Ainda assim,
a vida tinha o dom
de fazer  um dia
se seguir ao outro.

[Virginia Woolf]

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Sua vida

Você nasceu no lar que precisava nascer, vestiu o corpo físico que merecia, mora onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com o teu adiantamento.

Você possui os recursos financeiros coerentes com tuas necessidades… nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas.
Seu ambiente de trabalho é o que você elegeu espontaneamente para a sua realização.
Teus parentes e amigos são as almas que você mesmo atraiu, com tua própria afinidade.
Portanto, teu destino está constantemente sob teu controle.
Você escolhe, recolhe, elege, atrai, busca, expulsa, modifica tudo aquilo que te rodeia a existência.
Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes. São as fontes de atração e repulsão na jornada da tua vivência.
Não reclame, nem se faça de vítima.
Antes de tudo, analisa e observa.
A mudança está em tuas mãos.
Reprograma tua meta, busca o bem e você viverá melhor.
Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.


 [Chico Xavier]

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Para ser feliz

"Não desfrute somente o sol, aprecie também a lua. Não desfrute somente a calmaria, aproveite a tempestade. Tudo isso enriquece a existência. A vida não acontece somente dentro de uma casa, de uma cidade, de um país: ela tem de ser experimentada dentro do universo. A felicidade é um jeito de viver, é uma conduta, é uma maneira de estar agradecido ao sol, à lua, a quem lhe estende a mão e também a quem o abandona, pois certamente nesse abandono está a possibilidade de você descobrir a força que existe em seu interior. A felicidade não é o que as pessoas têm, mas o que elas fazem com isso."

[Roberto Shinyashiki - O sucesso é ser feliz]

Querida Elizabeth Bishop,


A arte de perder não é nenhum mistério. Eu bem sei. Os dias parecem transparentes, como se eu andasse sob aquele sol fraco que travessa uma barreira de nuvens bem fina. Luz vazia. Não pousa.

[Ava Dellaira in Cartas de Amor aos Mortos]
img: Nina  Dobrev

;;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates