sábado, 31 de dezembro de 2016

Renove-se

"Na hora que os fogos explodirem no céu, o seu coração fará a maior festa! Haverá em toda parte um maravilhoso desejo de que o mundo encontre seu rumo. É assim todo ano!

No entanto, o mais feliz dos sonhos me diz que é dentro de mim e de você que o novo surge como promessa!
Um mágico 2017 para todos nós!"

[Pedro Antônio de Oliveira]

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Final de Ano

Todo final de ano é o encerramento de um ciclo, de um tempo. E todo começo tem gostinho de novidade. Uma vontade de fazer algo diferente. Um desejo de retomar velhos planos que ficaram escondidinhos num canto da memória. Por isso, aproveite toda essa vibração e faça as mudanças necessárias na sua vida.

[Clarissa Corrêa]

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Voar alto

"Ah, quantos sortilégios nos corações dos seres humanos. Tantos sentimentos mascarados perdendo tempo de descobrir o sentir. 
Eu quero voar em bando, trocando mistérios e desvendando sensibilidades. Voar alto, cada vez mais alto."

[Denise Portes]

Bem e Mal

"(...) É a dolorosa verdade que nós ainda não sabemos por que le bon Dieu permite que o mal exista, mas temos a Sua palavra de que isso é verdade. 'Eu criei o bem', Ele diz na Bíblia, 'e Eu criei o mal'. Consequentemente, até mesmo pessoas boas, acho, especialmente as boas — acrescentou ele pensativamente —, podem deparar-se com grande confusão e dificuldades em suas vidas."

[Diana Gabaldon in A viajante do tempo]
Img: Caitriona Balfe e Sam Heughan in Outlander 1ª Temporada

Desejo


"Desejo que haja cumplicidade. Que o entendimento aconteça no olhar. Que as palavras sejam estilingues e não pedras. Desejo que haja tolerância e muita paciência. Que os defeitos de um, não machuquem o outro. Que as qualidades de um, não ofusquem o outro. Desejo que o tempo seja generoso. Que os dias passem em paz. Que as noites sejam de festa. Desejo que a rotina não seja cruel. Que a paixão seja sempre descoberta. Que o abraço seja sempre conforto. Desejo que as vontades caminhem de mãos dadas. Que as diferenças e distâncias só sirvam para aproximar. E que a fé no amor, seja salvação para todos os dias."

[Briza Mulatinho]

O tempo é agora


O tempo não existe:
eu decreto assim.
Esses vultos esquivos
são rostos, são nomes,
são as horas felizes
(são o que foi embora?).

O tempo não existe:
tudo continua aqui,
e cresce
como uma árvore
pesada de frutos que são
máscaras, palavras, promessas,
bocas ferozes.

O tempo não existe:
tudo se resume ao instante.
O antes disso
é um rio que corre
mas não passa.
(Basta chamar:
é sempre agora)”.

[Lya Luft in O Tempo é um Rio que Corre]

Mas vá mesmo

Sabe qual a época que mais gosto? Seus últimos dias. Adoro ver você indo embora devagarinho. 28, 29, 30 são meus dias preferidos, mas adoro mesmo é o seu último dia de vida. O mundo inteiro comemora a sua ida. Fogos de artifício, música, abraços. Dezembro, antes de ir embora, vamos fazer um brinde. Vem cá, me dá um abraço. Depois pode ir, viu?


[Clarissa Corrêa]

"Andamos, andamos, nos inclinamos e
caminhamos, nadamos sufocados na
lama, subimos pelos maldosos muros escorregadios.
Choramos e desanimamos, nos lamentamos 
com medo, e uivamos cheios de sofrimento.
Mas continuamos, vamos, sofremos,
vamos e conseguimos triunfar."

[Hermann Hesse in Contos]

"Nasci trazendo na alma estranha confusão,
fujo às vezes da vida e não
desejo a morte, - adoro o meu silêncio...
odeio a multidão...e desespero achar quem
me ame e me conforte...
Há instantes em que sinto uma
necessidade de fugir...
mas alguém diz: - deveis conter-vos!
E é a custo que consigo
em tão forte ansiedade amarrar-me
e prender-me com meus próprios nervos."

[J.G. de Araújo Jorge in O meu poema sem nome]

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Por que eles culpam a mim pelos seus defeitos? Usam meu nome como se eu passasse o dia inteiro instigando-os a cometerem atos que, de outra forma, achariam repulsivos. ‘O demônio me forçou’. Nunca forcei ninguém a fazer nada. Nunca. Eles vivem suas vidas medíocres. Eu não as controlo de maneira alguma. Então eles morrem, vêm para cá (tendo transgredido o que acreditavam ser certo) e esperam que seus desejos de dor e retribuição sejam satisfeitos por nós. Eu não os faço vir para cá. Eles falam de mim como se eu andasse por aí comprando almas na feira, e nunca pararam para se perguntar por quê. Eu não preciso de almas. E como alguém pode comprar uma alma? Não. Eles pertencem a si mesmos… Mas odeiam ter que encarar o fato”.


[Neil Gaiman in Sandman]

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

"Para ganhar um ano-novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre."

[Carlos Drummond de Andrade]

domingo, 25 de dezembro de 2016

Porque somos humanos

Mas se não formos demasiado fúteis nem nos avaliarmos apenas pelo bolso e pelo físico, pode haver muita energia boa na maturidade. Alguns trabalhos cumpridos, ainda horizontes pela frente, sensação de que afinal podemos repensar muitas coisas.
Digo e repito sempre que quando se diz “pare um pouco pra pensar”, a reação é mais ou menos “parar pra pensar? nem pensar! se eu paro pra pensar, desmonto”.
Já comentei isso, e aqui, como outras coisas mais, retomo: porque me agrada, porque aqui me importa.
Então a gente não pensa: segue adiante, busca, luta, desperdiça tempo e alegria, as dores são surdas e insidiosas, perdemos o prumo, o rumo, a vida se vai e agora, e agora?
Uma distração qualquer, e a mão que se estende chega tarde, o pulso já fora cortado; por um fio, por um minuto, o avião havia partido, o telefone estava fora do gancho. Foi egoísmo nosso, futilidade, aridez? Descartamos o que não faz parte do nosso mundo. Porque somos perversos?
Porque somos humanos.
(Pensar dói). 

[Lya Luft in O Tempo é um Rio que Corre]
img: Caitriona Balfe

sábado, 24 de dezembro de 2016

Se doe

“Muito cômodo fazer caridade no final do ano. Acho lindo mesmo. Mas, de verdade, não é de esmola que o mundo precisa. O mundo precisa é das pequenas coisas. E não estou falando de brinquedo de 1,99, de bola de futebol ou de bicicleta no Natal. O mundo precisa é de atitudes mais humanas. De honestidade, de sorriso, de bom-humor, de boa vontade, de amizade, de mães e pais de verdade. De educação. 

Quer ajudar o próximo? Que tal começar doando aquele monte de roupa cara que você usou uma vez só? Que tal fechar a torneira enquanto escova os dentes, reciclar seu lixo, economizar energia elétrica, usar menos o carro? Que tal adotar um cachorro de rua? O mundo está cansado de gente que dá esmola e trata mal o porteiro. Que faz caridade e não sorri pra uma criança pobre na rua. Que veste de Papai Noel e rouba dinheiro da empresa.

Ser uma boa pessoa não tem a ver com fazer caridade uma vez no ano. É uma postura não só de Natal, mas de uma vida toda. É um olhar diferente sobre o mundo e sobre o que eu posso fazer para melhorar o mundo ao meu redor. Criança gosta de ganhar brinquedo no Natal sim. Mas nos outros dias, ela precisa de carinho, atenção, comida, respeito, educação e saúde. Quer fazer o bem? Comece tratando bem quem está do seu lado.”

[Brena Braz]

Feliz Natal e Próspero Ano Novo

"O que eu desejo para o novo ano é suavidade. E um bocado de alegria. E desejo também perdão: a mim mesma que sou passível de erros, mas que não preciso e não devo viver mergulhada na culpa. Desejo também carinho: uma alma acariciada fica doce, desvendada, amorosa. 

Desejo coragem, porque o medo paralisa e impede a melodia nova e é preciso arriscar para continuar (re)criando harmonias. Desejo muita inspiração, porque as palavras sempre me fizeram a companhia mais maciça para a solidão genuína que sinto. E foram elas que consertaram muitas dores ao longo da minha caminhada, coisas que só pude curar investigando, compartilhando, tendo aqui meus cinco dedos de prosa com vocês. 

Desejo um pouco de disciplina, pois um ser criativo precisa de rebeldia, mas também de horários e planejamentos. Desejo desapego pelas pessoas, mas um pouco mais de ambição material porque ninguém sobrevive apenas de metafísica. Desejo maturidade. Quando se tem maturidade, dá-se melhor o valo
r que tem cada coisa, sem supervalorizar o que é irrelevante ou subestimar um pequeno aprendizado. 

Desejo muita paz: um coração sossegado entrega-se com mais confiança. Desejo saúde e disposição. Desejo proteção espiritual. E desejo continuar sendo merecedora dessa boa sorte de falar e poder ser atentamente ouvida, de calar e ser respeitada, de amar e ser correspondida, de atrair pessoas de coração bom e muita sensibilidade, e de poder descobrir a cada dia que a verdadeira erudição está na simplicidade."

[Marla de Queiroz]

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Do mesmo modo que te abriste à alegria
abre-te agora ao sofrimento
que é fruto dela
e seu avesso ardente.

Do mesmo modo
que da alegria foste
ao fundo
e te perdeste nela
e te achaste
nessa perda
deixa que a dor se exerça agora
sem mentiras
nem desculpas
e em tua carne vaporize
toda ilusão

que a vida só consome
o que a alimenta.

[Ferreira Gullar in Barulhos]

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Meu melhor

Não é à toa que entendo os que buscam caminho. Como busquei ardentemente o meu! E como hoje busco com sofreguidão e aspereza o meu melhor modo de ser, o meu atalho, já que não ouso mais falar em caminho. Eu que tinha querido o Caminho, com letra maiúscula, hoje me agarro ferozmente à procura de um modo de andar, de um passo certo. Mas o atalho com sombras refrescantes e reflexo de luz entre as árvores, o atalho onde eu seja finalmente eu, isso não encontrei. Mas sei de uma coisa: meu caminho não sou eu, é outro, é os outros. quando eu puder sentir plenamente o outro estarei salva e pensarei: eis o meu porto de chegada.

[Clarice Lispector in A Descoberta do Mundo]

Por toda Vida

"Deixa-me andar assim no teu caminho por toda a vida,
Amor, devagarinho..."


[Florbela Espanca]

Nosso amor é primavera

"A primavera acontece em mim todas as vezes que o seu amor me acalma. Você é que enche de margaridas e pétalas o meu coração. Passeio de bicicleta e tudo me traz você. É assim o nosso amor, ele é maior quando invade o peito e sem saber direito se transforma em versos e segue as estações." 


Img: Solange Knowles e Alan Ferguson

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

O agora já passou

Eu batia pé — porque era impertinente, e porque queria algo “agora”. Um dos adultos, divertido, disse: — O agora nem existe! Aborrecida, pedi a meu pai que me explicasse aquilo, e ele tentou: — O tempo está sempre passando, é como a água de um rio, a cada instante tudo muda. Até a gente não é a mesma pessoa de um segundo atrás. E acrescentou para eu entender melhor: — Quando a gente começa a pensar a palavra “agora”, entre o primeiro “a” e o “a” final já transcorreu um tempinho, portanto nada é a mesma coisa, e a cada momento a gente não é a mesma pessoa. Levei dias procurando em vão empilhar as letras do “agora” para que fossem uma coisa só, num só instante. Mas não consegui enganar a esfinge que nos proporciona pequenos milagres e grandes tragédias, no duelo das ideias e das palavras ansiosas.

[Lya Luft in O Tempo é um Rio que Corre]

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

um pouco mais

"Dói de todos os lados, os de fora, os de dentro, de baixo e de cima, nenhuma saída, e você meio cego, meio tonto, só sabe que tem que continuar, meio sem esperança, as ilusões despedaçadas, o coração taquicárdico, língua seca, e continuando. Continuando. Resistimos, aos trancos, já nem sei se foi escolha ou solavanco. Difícil arrancar uma certa lucidez disso tudo. Mas sinto que o coração se depura (é tão antigo falar em coração…) um pouco mais, em cada porrada”.

[Caio Fernando Abreu in Carta a Suzana Saldanha ]

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Finalmente ser

"Cada um de nós precisa (mas ninguém nos explica isso) escrever o roteiro de sua existência dando-lhe sentido nos espaços brancos e nas entrelinhas das fatalidades e dos acasos (nos quais eu não acredito). Cúmplices de nós mesmos nesse solitário brinquedo de existir, alternamos trabalho duro com euforia cintilante, desejo de se ocultar atrás de fantasias e o ímpeto de arrancar as máscaras e finalmente ser”.

[Lya Luft in O Tempo é um Rio que Corre]

Sangue do meu sangue

"Você é sangue do meu sangue e ossos dos meus ossos.
Dou-lhe meu corpo, para que nós dois sejamos um só.
Dou-lhe meu espírito, até o fim de nossas vidas."

[Diana Gabaldon in A viajante do tempo]
img: Sam Heughan e Caitriona Balfe in Outlander]

Beijo diferente

Eu já havia beijado meu quinhão de homens [...] Jamie, no entanto, era algo diferente. Sua extrema delicadeza não era de forma alguma insegura; ao invés disso, era uma promessa de uma força conhecida e contida sob rédeas; um desafio e uma provocação mais notável ainda pela ausência de reivindicação. Sou seu, dizia. E se você me quiser, então...

Eu queria - e minha boca abriu-se sob a dele, aceitando calorosamente tanto a promessa quanto o desafio sem me consultar.

[Diana Gabaldon in A Viajante do Tempo]
Caitriona Balfe e Sam Heughan in Outlander

Aquele amor

"Ele ofegava de amor, e era como se houvesse um vazio no centro de seu ser, um vácuo de ternura desejosa que ansiava por ser preenchido, que só podia ser preenchido por ela, um vazio que a puxava para ele, para dentro dele, que a bebia como um vaso vazio bebe ansiosamente a água."

[Aldous Huxley in Contos Escolhidos]

[Angelique Boyer e Sebastian Rulli in Lo que la vida me robó (Oque a vida me roubou)]

Feita de pedra

"Os teus ouvidos eram buracos de concha,
retorcidos no desespero de não querer ouvir.
Me fizeram de pedra
quando eu queria ser feita de amor."

[Hilda Hist in Baladas]

Sempre amor

"O amor que nasce é assustadoramente amor. O amor que segue sozinho é assustadoramente só. Não há meio-termo porque o que o amor quer é coragem, o amor quer entrega, o amor sempre quer. Nem sempre é harmonia, nem sempre delicadeza. Mas sempre amor..."


[Cris Guerra]

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016



"Nosso discurso já possuía uma memória nostálgica e éramos perfeitos em nossos silêncios.
Dois ou três jantares e não sabíamos explicar como tínhamos vivido tanto tempo separados. Nosso espaço era temporal. Fragmentos do tempo e pedaços da vida entre taças de vinho e rodelas de pães que devoraríamos com a fome dos que amam.
As coisas a nossa volta pareciam estar sempre nascendo e todas as histórias pareciam ser iguais: sem princípio e sem fim. Antes de questionarmos todas essas coisas, antes das escolhas, do acaso, da aprendizagem… já estávamos lá, dentro do sonho.
E era confortável estar dentro do sonho com os dias futuros enfileirados a nossa volta.
Ele demonstrava gostar e ria um riso miúdo. A felicidade é assim miúda, cravada na retina dos olhos, feito jóia.
Nunca mais queria sair daquele planeta.
Nunca mais queria caminhar por ruas de pedras duras.”

[Edgar Cézar Nolasco in Claricianas]

Intolerável




Eu nunca fui livre na minha vida inteira.
Por que dentro eu sempre me persegui.
Eu me tornei intolerável para mim mesma.

[Clarice Lispector in “Um Sopro de Vida”]

;;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates