quinta-feira, 8 de dezembro de 2016



"Nosso discurso já possuía uma memória nostálgica e éramos perfeitos em nossos silêncios.
Dois ou três jantares e não sabíamos explicar como tínhamos vivido tanto tempo separados. Nosso espaço era temporal. Fragmentos do tempo e pedaços da vida entre taças de vinho e rodelas de pães que devoraríamos com a fome dos que amam.
As coisas a nossa volta pareciam estar sempre nascendo e todas as histórias pareciam ser iguais: sem princípio e sem fim. Antes de questionarmos todas essas coisas, antes das escolhas, do acaso, da aprendizagem… já estávamos lá, dentro do sonho.
E era confortável estar dentro do sonho com os dias futuros enfileirados a nossa volta.
Ele demonstrava gostar e ria um riso miúdo. A felicidade é assim miúda, cravada na retina dos olhos, feito jóia.
Nunca mais queria sair daquele planeta.
Nunca mais queria caminhar por ruas de pedras duras.”

[Edgar Cézar Nolasco in Claricianas]

Intolerável




Eu nunca fui livre na minha vida inteira.
Por que dentro eu sempre me persegui.
Eu me tornei intolerável para mim mesma.

[Clarice Lispector in “Um Sopro de Vida”]

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Reapaixone-se

Essa mania que temos de enjoar das coisas e das pessoas nos leva a grandes perdas. Parece que estamos sempre esperando mais, querendo outra coisa, e desse modo não conseguimos desfrutar o que já temos, o que já conquistamos. Nutrir sonhos e ser ambicioso é positivo, mas somente olhar para o que se quer muitas vezes nos cega frente a tudo o que já possuímos.

Em meio a essa frenética busca pelo que almejamos infelizmente podemos acabar nos distanciando de pessoas que estão junto de nós e que nos ajudaram a conquistar o que temos e somos hoje. Desgastamos, assim, um relacionamento que nos fortaleceu, de tanto que nossos olhos só parecem enxergar lá na frente, tornando-nos cegos em relação a quem já está ao nosso lado, lutando e sonhando conosco há um bom tempo.

De tanto ansiarmos pelo novo em nossas vidas, às vezes deixamos de valorizar o que já é parte do nosso dia a dia, descuidando-nos das várias riquezas que a vida nos concedeu. Por isso tantos relacionamentos deixam de ser amorosos para se tornarem um descompasso de idéias, desejos e objetivos. Por essa razão é que muitas vezes deixamos escapar por entre os dedos o amor maior de nossas vidas, em troca de infidelidades efêmeras e vazias de afetividade.

Por que procurar alguém lá fora quando já existe alguém que nos ama e dedica parte de sua vida à nossa? Por que achar que todo o amor que um dia uniu dois corações apaixonados morre de uma hora para outra, sem possibilidades de renovação? Por que parar de sorrir para a pessoa que dorme ao nosso lado, de roubar-lhe beijos furtivos, de tocar-lhe as mãos, de perguntar-lhe como se sente, de enviar-lhe mensagens apaixonadas e declarar o nosso amor e admiração?

Os sentimentos podem parecer adormecidos, dada a carga de trabalho excessiva e de preocupações que se avolumam em nossa vida, mas se já houve amor sincero, possivelmente ainda há uma fagulha dele que possa ser reacesa. Precisamos ser gratos à pessoa que esteve ao nosso lado por tempos, pois tudo o que obtivemos e construímos deve-se a ela também. Gratos e dispostos a reencontrar dentro de nós os sentimentos que pareciam perdidos, porque provavelmente o amor está entre eles, esperando por força e motivação de nossa parte.

Amores acabam, sim, mas não é fácil algo tão pungente e mágico, como o é um amor verdadeiro, arrefecer por completo. Não podemos deixar o tempo transformar em túmulo os nossos desejos, principalmente em relação a alguém que entrou na nossa história e a tornou melhor e mais completa. É preciso acordar disposto a alimentar o amor, todos os dias, a qualquer momento, onde estiver. É preciso lembrar que estamos juntos com alguém que pelo menos já foi o amor de nossas vidas, e que muito provavelmente sempre o será.

Cultivemos os sentimentos que nos uniram com nosso amado, dedicando-lhe parte significativa de nossa atenção, de nosso olhar, de nossa vida. Se acalmarmos os nossos passos e não permitirmos que a frieza do mundo lá fora adentre nossos sentidos,estaremos prontos para amar de novo e de novo quem sempre esteve ali bem juntinho, nos momentos de gozo e de sofrimento, lutando por nós e acreditando em nossos sonhos.

O amor possui uma força descomunal e uma capacidade inesgotável de se reinventar
Ele ressignifica nossa vida, tornando-a sempre mais gostosa de se viver, junto às pessoas que nos amam de verdade. Antes de desistirmos, portanto, é preciso que busquemos nos apaixonar e nos reapaixonar pelos olhos cúmplices que buscarão pelos nossos todos os dias, até o fim de nossas vidas.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Mais amor

"Eu gostaria que na correria da época atual a gente pudesse se permitir, criar, uma pequena ilha de contemplação, de autocontemplação, de onde se pudesse ver melhor todas as coisas: com mais generosidade, mais otimismo, mais respeito, mais silêncio, mais prazer. Mais senso da própria dignidade, não importando idade, dinheiro, cor, posição, crença. Não importando nada." 

[Lya Luft]

domingo, 9 de outubro de 2016

Escute seu coração

Acho lindos esses amores escancarados, que são cuspidos na cara de quem quiser ver. 
Acho lindas todas as manifestações públicas de afeto, mas acho ainda mais lindo o sentir. 
Do que adianta sorriso no rosto, sentimento exposto e coração frouxo? 
O amor é um sentimento que não se explica, se aplica apenas, todos os dias. 
Você o faz crescer, independente de anunciá-lo aos quatro cantos e aos sete ventos. 
Amor é quase um sussurro, um burburinho bom, causado pelo pensamento e pelo coração, na mais repleta conexão. 
Então, prefira amar, ao invés de proclamar. Ninguém ama com tanto barulho. O amor pede silêncio absoluto. 
É neste ambiente calmo e acolhedor que ele cresce, repentinamente, engolindo qualquer som que seja mais forte que o danado tum-tum-tum, que só um bom coração sabe repetir com clamor. 

Portanto, faça silêncio e escute o seu coração.

[Ju Fuzetto]

Sempre acreditei que os meus sonhos, de uma forma ou de várias, se realizariam. Talvez não da forma que eu imaginei, com as pessoas que eu pensei ou nas circunstâncias que eu queria, mas eu sempre soube quando algo que eu quis muito estava se concretizando ali, diante dos meus olhos. Com o tempo, aprendi que tudo (e isso eu digo com toda a verdade) acontece na hora certa. Quando eu estava preparada para receber ou para perder (algo ou alguém) a vida – de mãos comigo – me fez enxergar a importância de ser feliz com o que se tem, com o que se é. E foi com esse aprendizado que eu cheguei até aqui.

[Bibiana Benites]
img: kristen stewart

sábado, 8 de outubro de 2016

Vulnerabilidade

“Meu coração se transforma a cada experiência. Mas ainda palpita, sobressalta e se assusta. Ainda é vulnerável como quando eu tinha dez anos.” 

[Lya Luft]

Surpresas

''Ao final de um dia, a fé se torna uma coisa engraçada. Ela aparece quando você menos espera. É como se, um dia qualquer, você percebesse que o conto de fadas é um pouco diferente do seu sonho. O castelo pode não ser bem um castelo. E que não é tão importante ter um ''felizes para sempre'' e sim um ''felizes nesse exato momento''. 

[Grey's Anatomy]
img: alicia vikander

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Sentimental

"
Sou daquele tipo sensível demais, que gosta de olhar nos olhos. Sou dessas que não se contentam com o sentimento automático, ou com a frieza da modernidade. Gosto de me encaixar na anatomia de abraços sinceros, daqueles que posso medir a temperatura dos corações com esse tal termômetro que as pessoas chamam de afinidade."

'"Não importa se somos fortes, traumas sempre deixam uma cicatriz. Seguem-nos até nossas casas, mudam nossas vidas. Traumas derrubam a todos, mas talvez essa seja a razão. Toda a dor, o medo, as idiotices. Talvez viver isso é que nos faz seguir adiante, é o que nos impulsiona. Talvez precisamos cair um pouco para levantar novamente.''

[Grey's  Anatomy]

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Para amar

Uma relação não dura apenas de amor. Antes do amor, é preciso que exista o tripé: respeito, cumplicidade e troca. Além de uma parcela de afinidades, uma série de outros sentimentos fazem do amor o amor. Apenas por ser ele já não é mais parte, é inteiro.

[Bibiana Benites]

Desfazendo Sonhos

O fim chega assim do nada, eu só senti o tamanho das raízes da nossa história, quando arrancaram elas do meu peito, restou um buraco daquilo que foi vida, é duro saber que não haverá um amanhã, uma coisa tão trivial, mas ter um amanhã contigo foi o mais perto que cheguei de uma certeza, eu acordaria e você estaria lá, os detalhes que sempre amei me ferem e eu sangro, eu me entreguei e não há devolução. Eu conheço todos os clichês, já ouvi todas as dicas para recomeçar a vida, mas os anos que passamos juntos são proporcionais a dor que eu sinto fazendo as malas e nesse momento eu não quero ser forte, quero ser grito. Dobro as minhas roupas, acho que nunca demorei tanto para fazer uma mala. Fiz as malas e desfiz os sonhos.

{Zack Magiezi]
img: Angelique Boyer in Teresa

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Coisas que não adiantam

"Pode parecer absurdo, mas muita gente tem muito mais medo de viver uma história limpa, fluida e leve a ter uma história truncada, sombria, instável. Muita gente passa a vida tentando "consertar" alguém. E deixa de ser feliz tentando ser útil."

[Marla de Queiroz]
Img: Rihanna

Vida e esperança

"A esperança me chama e eu salto a bordo como se fosse a primeira viagem. Se não conheço os mapas, escolho o imprevisto: qualquer sinal é um bom presságio. Seja como for, eu vou, pois quase sempre acredito: ando de olhos fechados mas não desisto. A dor eventual é o preço da vida: passagem, seguro e pedágio."

[Lya Luft]

Livros salvam vidas

De vez em quando aparece no noticiário algum sortudo que teve sua vida salva por um objeto: uma caneta no bolso, uma moeda, uma calculadora, algo que impediu que uma bala de revólver lhe perfurasse o coração. Pois aconteceu de novo: sábado passado em Cuiabá, um professor de 52 anos reagiu a um assalto e teve sua vida salva porque, na hora do disparo, a bala acertou o que ele trazia em mãos: um livro. Um livro bem grosso, imagino. Um tijolaço.

[…] Terei coragem de apelar e dizer que os livros salvam a vida de milhares de pessoas todos os dias? Bom, agora já disse.

Piegas ou não, forçado ou não, eu acho mesmo que os livros nos “salvam”, de alguma maneira. Salvam a gente de levar uma vida besta, doutrinada pela TV. Salvam a gente de ficar olhando só pra fora, só para o que acontece na vida dos outros, sem nos dedicar a alguns momentos de introspecção. Salvam a gente de ser preconceituoso. Salvam a gente do desconhecimento, do embrutecimento, do mau-humor, da solidão, salvam a gente de escrever errado. Se existe salvador da pátria, não conheço outro.

Quando me refiro a alguém que lê, estou me referindo a alguém que lê bastante, que lê com paixão, que lê compulsivamente. Porque ler dois ou três livros por ano, apesar de estar dentro da média brasileira, está longe de ser comemorado. Vira um programinha excêntrico: “Vou aproveitar que hoje está nevando e ler um livro”. Nada disso. Livro salva quem nele se vicia. Salva quem não consegue se saciar. Quem quer saber mais, conhecer mais, se aprofundar mais. É imersão. Mergulho. Salva a gente da secura da vida.

[…] Se não salvarem espiritualmente ninguém, darão ao menos um bom escudo.

[Martha Medeiros in Coisas da Vida]

;;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates