quinta-feira, 21 de agosto de 2014


"Foram as minhas esperas 
que me trouxeram as melhores respostas." 

[Bibiana Benites]

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Quando nos dedicamos, com o coração, à busca do autoconhecimento, é inevitável que chegue um instante em que algumas mentiras que contávamos para nós mesmos passem a não funcionar mais. Os disfarces até então utilizados para fortalecer o nosso autoengano já não nos servem. Inábeis com a paisagem aos poucos revelada, às vezes ainda tentamos nos apegar a alguma coisa que possa encobrir a nossa lucidez, embaraçados que costumamos ser com as novidades, por mais libertadoras que sejam. É em vão. Impossível devolver a linha ao novelo depois que a consciência já teceu novos caminhos. Existem portas que se desmancham após serem atravessadas, como sonhos que se dissolvem ao acordarmos. Não há como retornar ao lugar onde a nossa vida dormia antes de cruzá-las. Da estreiteza à expansão. Da semente à flor. Do casulo às asas, nos ensinam as borboletas.

[Ana Jácomo]


"Tenha mais cuidado com você, não espere isso do outro. Você sabe das suas carências, das suas fases, das suas lacunas. O outro sabe das dele. Às vezes há o encontro perfeito, o encaixe. Em outras, há a mudança brusca pedindo outras conquistas, outras evoluções. Permita-se ser a nova pessoa que acorda todos os dias com mais sede de tudo... Permita-se conhecer a nova pessoa que se relaciona com você diariamente: com outra disposição pra vida, pro amor, pras relações. Desejo boas notícias." 


[Marla de Queiroz]

"...Colin sabia que o universo não conspirava para colocar uma pessoa em um local em vez de em outro. E pensou em Demócrito: “Em todo lugar o homem culpa a natureza e o destino, embora seu destino seja nada mais que o eco de seu caráter e suas paixões, seus erros e suas fraquezas.”

[John Green in O Teorema Katherine]


"Na era do cronômetro, das relações com período contado, abandonar o relógio pra viver um sentimento é não ter tempo a perder. 
Não calcular, não medir, não pensar no quanto se gasta, simplesmente deixar acontecer sem ter hora pra acabar. 
A vida seria mais simples se a gente abandonasse o relógio quando alguém faz o nosso tempo parar. 
Se ao invés de arrumar desculpas, a gente arrumasse a mala e fosse aonde dá vontade de ir. 
Te desejo um amor que te faça perder a noção do tempo. Que não escorra como areia em ampulheta. 
Um amor sem validade, capaz de driblar qualquer prazo que a rotina possa estipular. 
Te desejo um amor com começo, meio e sim!" 

[Fernanda Gaona]
Img: Ginnifer Goodwin in Once Upon a Time - 1ª Temporada

Eu ainda queria amar você. Ver meu ar ir embora diante da tua presença, meu coração pular com seus beijos, com suas mãos dançando no meu corpo. Eu queria ainda precisar de você com essa sua razão admirável, com esse amor tão supremo, tão completo. Queria chorar com a sua ausência, com sua presença. Chorar por você, eu ainda queria. Me afogar nas lágrimas vermelhas que secaram com o tempo tão pouco lento mas, tão certeiro. Eu ainda queria te ter em meus braços, te ler poemas novos, cantar algumas músicas que aprendi nesse tempo em que nos mantemos longe. Queria lhe mostrar meu livro, tão pouco bem escrito, mas que transborda bons momentos, bons sentimentos - te aguardo na noite mais esperada.

Queria te olhar, te lembrar nossas risadas, meu riso vermelho, nossa raiva. Queria te mostrar minha existência tão plena, tão cheia de problemas, tão cheia de amor. Escrever uma poesia, por você eu ainda queria. A tênue linha que nos separa, o fino laço que aqui ficou, ainda me faz viver bem, ainda me faz lhe desejar o bem. Eu apenas quero. Por isso, não realize o que desejo. O ainda me deixa em um melhor estado de espírito do que aquele que respirei ao seu lado. Pra guardar apenas boas lembranças, o ainda não pode ser saciado. Espécie de desejo contínuo que jamais pode ser resgatado.

[Priscila Rôde]

“E é inútil procurar encurtar caminho e querer começar já sabendo que a voz diz pouco, já começando por ser despessoal. Pois existe a trajetória, e a trajetória não é apenas um modo de ir. A trajetória somos nós mesmos. Em matéria de viver, nunca se pode chegar antes”

Clarice Lispector in [A Paixão Segundo G.H.]

Sabe aquele milho que sobra na panela e se recusa a virar um floquinho branco, macio e alegre? Piruá. E aí tenho que concordar com o escritor Rubem Alves, que já escreveu sobre o assunto: tem muita gente piruá neste planeta. Gente que não Reage ao calor, que não desabrocha. Fica ali, duro, triste e inútil pró resto da vida.
Não cumpre sua sina de revelar-se, de transformar-se em algo melhor. Não vira pipoca, mantém-se piruá. E um piruá emburrado, que reclama que nada lhe acontece de bom. Pois é. Perdeu a chance de entregar-se ao fogo, tentou se preservar, danou-se.

[Martha Medeiros in Doidas e Santas]

Ela sempre dizia que não adiantava ficar relutando com um passado que não podia ser consertado quando havia tanto que podia ser feito para consertar o futuro. 

[Sarah Addison Allen in A garota que perseguiu a lua]

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Derrubem os muros.
Afinal, essa é a questão. Não sabemos o que vai acontecer se derrubarmos os muros; não dá para ver o outro lado, não dá para saber se teremos liberdade ou ruína, resolução ou caos. Pode ser o paraíso ou a destruição.
Derrubem os muros.
Senão, vivemos em atenção constante, com medo, construindo barricadas contra o desconhecido, fazendo orações para nos proteger da escuridão, recitando versos de pavor e tensão.
Senão, nunca poderemos conhecer o inferno, mas também não encontraremos o paraíso. Não conheceremos o ar fresco nem saberemos como é voar.
Todos vocês, sejam lá quem forem, em suas cidades grandes ou vilarejos modestos[...] Vou fazer um pacto com vocês: eu farei se vocês fizerem, sempre e para sempre.
Derrubem os muros.

[Lauren Oliver in Réquien]

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Complicado o negócio de ser feliz. Desisti, portanto, de minha felicidade para deixar os outros felizes. Abri mão das coisas. [...] Eu não pensava em minha felicidade. Nem que a tinha escondido para nunca mais rever. Já não me lembrava onde estava: atrás de que livro? Que autor? Qual estante?

[Fabricio Carpinejar in Uma Fábula Infantil para Adultos]

Sonhar

— É pecado sonhar?
— Não, Capitu. Nunca foi.
— Então por que essa divindade nos dá golpes tão fortes de realidade e parte nossos sonhos?
— Divindade não destrói sonhos, Capitu. Somos nós que ficamos esperando, ao invés de fazer acontecer.

 [Machado de Assis in Dom Casmurro]

"Quando você voltar, não vá me avisar, não vou estar aqui. Coisas hão de mudar, feridas hão de sarar e eu ei de ser feliz sem você, sem ninguém. Estar feliz assim depende só de mim... sofrer é com você."
[Fresno]

Momento de silêncio

"O medo de errar muitas vezes nos leva ao erro, e o desejo excessivo de acertar nos rouba a naturalidade: calamos quando seria melhor falar, falamos quando teria sido melhor dizer alguma coisa, qualquer coisa. 

Mas nem sempre sabemos a hora, a palavra, a pessoa certa. 

Assim como solidão não precisa significar isolamento, silêncio não precisa ser um corte: pode ser nossa melhor maneira de falar, naquele momento, com aquele interlocutor. Aí ele não compreende, e, mais uma vez, somos incomunicáveis. 

Calar pode ser um bom exercício para nossa mente aflita de tantas informações, paralisada entre tantas escolhas, dilacerada em transformações vertiginosas como as deste tempo nosso."

[LYA LUFT In:Entrevista, 2006]
Img: Keira Knigtley

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Inalcançável

"Eu era a areia e podia ver onde a praia começava e terminava. Mas ele era o mar e estava em constante movimento, para lugares que eu não conhecia e não conseguia imaginar."

[Deb Caletti in “Um Lugar para Ficar”]
Img: Sarah Jessica Parker e Chris Noth in Sex and the City - 2ª temporada

;;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates