quarta-feira, 23 de julho de 2014

"Espero que você consiga tudo o que quiser quando crescer, mas acima de tudo, amor. Quando o amor é verdadeiro, quando é certo, pode nos dar o tipo de alegria que não se consegue de nenhuma outra forma. Eu me apaixonei. Estou apaixonada. Então posso falar por experiência própria. Também tive longos períodos sem amor na minha vida e a diferença é indescritível.
Nós é muito melhor do que eu.
Por favor, não dê atenção a qualquer pessoa que lhe diga o contrário. E nunca deixe de acreditar no amor."

[James Patterson in O Diário de Susana para Nicolas]



Estava brutalmente cansado, mas era difícil parar. Mais um livro, dizia a si mesmo, e depois paro. Mais uma folha, só mais uma. Mais uma página, e vou para cima descansar e comer qualquer coisa.
Mas havia sempre outra página depois dessa, e outra a seguir, e outro livro à espera por baixo da pilha. Vou só dar uma espiada rápida para ver qual o assunto deste, pensava, e antes de se dar conta já tinha lido metade.
(…)
Meistre Aemon compreenderia. Antes de perder a vista, o meistre amara tanto os livros como Samwell Tarly. Compreendia o modo como por vezes se podia cair dentro deles, como se cada página fosse um buraco aberto para outro mundo.

[R.R. Martin in Festim de Corvos]

quinta-feira, 10 de julho de 2014


─ Como um livro deveria ajudar?
─ Acha que as histórias servem pra que? Essas histórias… Os Clássicos? Tem uma razão para nós os conhecermos. São uma maneira para lidarmos com o nosso mundo, um mundo que nem sempre faz sentido.

[Branca de Neve in Once Upon a Time]

"Deitar no campo imaturo da minha esperança. Abraçar o mundo sem medo. Meu desejo aumenta a cada dia em que essa visão mecanicista tenta me dominar. Cambaleei e ainda estou aqui entregue aos sentimentos inundados pelo amor , tão pouco repetitivo, tão imprevisível, bem mais humano. Cansaço absoluto. Limite. Vislumbro a fronteira do meu tempo, das minhas forças, da minha vontade de permanecer de pé. A estrada que caminhei chega ao seu fim a cada hora, me deixa aos prantos de tanto cansaço e respiro feliz. Que mundo injusto, ainda preciso cuidar dos meus ferimentos e esperar que eles cicatrizem. Ainda preciso entornar amor no coração daqueles que me apunhalam, que me entregam ao meu instinto. Eu não quero usá – lo, sei do seu estrago. Tranqüilidade intangível. As horas passam e mesmo abandonada por aquele que me faz colocar no papel o que menos entendo, eu ainda tenho um bom sentimento pela vida. Ela que tão pouco sabe de mim, ela que tão pouco me ama, que tão pouco me quer, eu ainda a amo. Entre uma dor e um beijo que ganhamos do mundo, fingir amor pela vida faz – nos perder no verdadeiro amor por nós mesmos."

[Priscila Rôde]

"Alguém disse uma vez: ‘Um bom livro é o melhor amigo’. Outra pessoa expressou isso de forma semelhante: ‘Quem escolhe bem os seus livros estará sempre na melhor das companhias. Neles nos encontramos com os caracteres mais ricos de espírito, mais sábios e mais nobres, que constituem o orgulho e a glória da humanidade."

[Jostein Gaarder e Klaus Hagerup in A Biblioteca Mágica de Bibbi Boken]

domingo, 15 de junho de 2014

"
"As histórias que mais amamos vivem em nós para sempre, 
então se você retornar pelas páginas ou pela tela, 
Hogwarts sempre estará lá para lhe dar as boas vindas”.  

[J. K. Rowling]

"...aprendi que o amor verdadeiro não é aquele que prende, sufoca, envolvendo os dois numa dança macabra. Não, ele deixa você livre para pisar em chão firme, e para o outro poder fazer o mesmo, com bastante espaço entre vocês dois."


[Deb Caletti in Um Lugar para Ficar]


"...as bibliotecas tem a ver com liberdade. A liberdade de ler, a liberdade de ideias, a liberdade de comunicação. Elas tem a ver com educação (que não é um processo que termina no dia que deixamos a escola ou a universidade), com entretenimento, tem a ver com criar espaços seguros e com o acesso à informação”.

[Neil Gaiman]

sábado, 14 de junho de 2014

Estou sozinha de novo. 
A mais de mil quilômetros de casa. Sem direção, sem
propósito, sem outros objetivos além de tentar me encontrar nesta jornada que jamais imaginei que teria coragem de começar. 
E estou com medo. 
Mas preciso fazer isso.

[J. A. Redmerski in Entre o agora e o nunca]

sexta-feira, 13 de junho de 2014

"

"Se não fossem as minhas malas cheias de memórias 
Ou aquela história que faz mais de um ano 
Não fossem os danos 
Não seria eu”  . 

[Da canção “Capitão Gancho”, de Clarice Falcão]

"Coitado do amor, é sempre acusado de provocar dor, quando deveria ser reverenciado simplesmente por ter acontecido em nossa vida, mesmo que sua passagem tenha sido breve. E se não foi, se permaneceu em nossa vida, aí é o luxo supremo. Qualquer amor merece nossa total indulgência, porque quem costuma estragar tudo, caríssimos, não é ele, somos nós."

[Martha Medeiros in Doidas e Santas]

Feliz dia de Santo Antonio

...para você, que por algum momento desacreditou do amor. Que sofreu, chorou, mas percebeu que é preciso continuar - de algum jeito ou alguma forma. Que é preciso ter fé, pois o que tiver que ser a vida se encarrega de fazer...

[Clarissa Corrêa]

quinta-feira, 12 de junho de 2014

O amor é simples. Complicado mesmo é entender isso. Perceber que ele se instala nos pequenos detalhes e está completamente misturado com os gestos aparentemente sem importância. 

É um sentimento que não é criado, mas construído, e talvez daí venha a dificuldade de mantê-lo. Exige um esforço grande, esforço que nem todo mundo está disposto a ter. Amor é coisa de corajoso. Não sobrevive na mão de quem adora o hoje, mas tem pavor de imaginar como será amanhã. 

É mais fácil colocar a culpa no destino, mas a verdade é que amor não é coisa de gente sortuda. É coisa de gente persistente.

[Fernanda Gaona]

Amor não é só poesia e refrães.
Amor é reconstrução.
É ritmo. Pausas. Desafinos.
E muitos desafios.

[Fernanda Mello]

quarta-feira, 11 de junho de 2014



Quando começa o amor? Certamente quando o fascínio encontra a verdade de cada um. Aí, é pegar ou largar
Amor não é fascínio, amor é depois do fascínio, amor é compreensão.
O fascínio ainda é arrebatamento, tudo agrada, tudo é elogiado porque é inédito.


Não queremos perder nossa companhia, é só o que interessa, então não mostramos nenhuma resistência. 
Não nos incomodamos. Desligamos o senso crítico.
Há também a liberdade de não ter futuro. Não nos enxergamos morando com a pessoa. 
Não nos enxergamos descascando os problemas e a rotina com a pessoa. Não nos enxergamos discutindo longas madrugadas com a pessoa. 
Não nos enxergamos defendendo os nossos pequenos hábitos, antes naturais e automáticos, diante do olhar espantado.


O fascínio não inclui projetos, é fruição.
O fascínio não envolve julgamento.
Fascínio é a lua de mel das virtudes.
É se deixar levar. É não pensar demais.
Fascínio é hipnose, transe, mergulho sem os pés medindo a temperatura e a fundura da água.


Todos começam fascinados e terminam decepcionados no relacionamento.
Surge a dúvida: Será que é ele? Será que é ela? A dúvida não é ruim, a dúvida é quando passamos a praticar a verdade.
O fascínio é o éden, já a sinceridade é a maçã mordida.
No fascínio, o certo e o errado não existem, apenas a vontade imperiosa de ficar junto.
É preciso cair para se vincular. É preciso questionar para confirmar.


A decepção é que desenvolve o amor.
A frustração é que amadurece o amor.
É quando percebemos que o outro não está nem na nossa cabeça, nem no nosso coração, e que temos que percorrer um longo caminho a cada manhã para conhecê-lo. Aquele que parecia tão nosso é um estranho: vem o medo, a angústia, a ansiedade que destroem a inteireza das palavras. É quando o outro mente, é quando o outro comete uma falha, é quando o outro é grosseiro, e então o fascínio desaparece, e somos reais de novo e temos que tomar uma decisão pesando pontos positivos e negativos.


E a escolha é perdoar os erros e, mais do que isso, entender os erros e considerá-los naturais. Perdoar os erros de quem nos acompanha como perdoamos os nossos próprios erros.
É concluir que ele ou ela não acerta sempre, mas acerta mais do que erra e vale a pena continuar.
Troca-se a invencibilidade pela fragilidade. Troca-se a projeção pela introspecção.
Da morte do fascínio (a inconsciência da paixão), nasce a admiração (a consciência do amor) – esta, sim, será pela vida afora.


[Fabrício Carpinejar]
Para meu grande amor André...

;;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates