quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Ela também teve seu coração machucado. Dilacerado, imagino. Normal. Desse mal, meu bem, ninguém escapa. Mas o bom disso tudo é que agora consigo abrir meu coração sem rodeios. Sim, amei sem limites. Dei meu coração de bandeja. Sim, sonhei com casinhas, jardins e filhos lindos correndo atrás de mim. Mas tudo está bem agora, eu digo: agora. Houve uma mudança de planos e eu me sinto incrivelmente leve e feliz. Descobri tantas coisas. Tantas, Tantas. Existe tanta coisa mais importante nessa vida que sofrer por amor. Que viver um amor. Tantos amigos. Tantos lugares. Tantas frases e livros e sentidos. Tantas pessoas novas. Indo. Vindo. Tenho só um mundo pela frente. E olhe pra ele. Olhe o mundo! É tão pequeno diante de tudo o que sinto. Sofrer dói. Dói e não é pouco. Mas faz um bem danado depois que passa. Descobri, ou melhor, aceitei: eu nunca vou esquecer o amor da minha vida.Nunca. Mas agora, com sua licença. Não dá mais para ocupar o mesmo espaço. Meu tempo não se mede em relógios. E a vida lá fora, me chama. 

[Fernando Mello]

Dizem que as pessoas se apaixonam pela sensação de estar amando, e não pelo amado. É uma possibilidade. Eu estava feliz, eu estava no compasso dos dias e dos fatos. Eu estava plena e estava convicta. Estava tranquila e estava sem planos. Estava bem sintonizada. E de um dia para outro estava sozinha, estava antiga, escrava, pequena. Parece o final de um amor, mas não era amor. Era algo recém-nascido em mim, ainda não batizado. E quando acabou, foi como se todas as janelas tivessem se fechado as três da tarde de um dia de sol.

[Martha Medeiros]


Mas o que faz a dor? A dor quando bem vivida, percebida, acolhida, não passa de uma forte emoção. Nem toda dor é causada por alguém: dor de amor é a mais vulgar (no sentido de ser a mais comum), dor existencial é uma transcendência. Não evito minhas dores, vou até o cerne dos sentimentos, vejo-a tão vital quanto a alegria. Pois se, através deste processo também me vem a necessidade de autoinvestigação e evolução interna, por mais desnorteada que eu me veja enquanto inserida no emocional da situação, é esse desconforto que me indica o degrau acima, me tira da zona de conforto, me instiga a buscar uma nova direção. A dor bem aproveitada não deve ser temida, deve ser usada como ferramenta para o autoconhecimento, extirpação do mal-resolvido, para o crescimento. Eu não temo a dor, nem emoção alguma, se assim fosse, até a alegria me incomodaria. O que não permito é que ela me leve ao estado da prostração, da autopiedade ou de algo que não aceite regeneração. Dor transmuta-se. E o Tempo dono de todas as coisas, ensina quão provisório é o pranto e a gargalhada. Por isso não recuso nada. 
Que venha o que vier, como vier. Eu suporto qualquer circunstância que me lapide, que me desassossegue para que eu valorize os momentos de paz do meu coração. 
Vida é totalidade. Inclui tudo. Vida é vontade de Mundo.
Dor faz parte da vida e, por mais preciosa que seja, não permito que ela seja a parte mais importante.

[Marla de Queiroz]
Img:  Lucy  Hale

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Ficou difícil, tudo aquilo, nada disso 

Sobrou meu velho vício de sonhar 
Pular de precipício em precipício, ossos do oficio 
Pagar pra ver o invisível e depois enxergar 
Que é uma pena, mas você não vale a pena, 
não vale uma fisgada dessa dor 
Não cabe como rima de um poema, de tão pequeno 
Mas vai e vem, e envenena, e me condena ao rancor 
De repente cai o nível e eu me sinto uma imbecil 
Repetindo, repetindo, repetindo como num disco riscado 
O velho texto batido dos amantes mal amados, 
dos amores mal vividos 
[...]
Cutucando, relembrando, reabrindo a mesma velha ferida


[Maria Rita in Não vale a pena]

"Há sempre alguém que acelera o relacionamento. 
Que agride antes de compreender, que julga antes de conviver.
 O amor não é suspeita, é superar a desconfiança."

[Fabrício Carpinejar]
img: Charisma Carpenter


...

Não eras para os meus sonhos, não eras para a minha vida,
Nem para os meus cansaços perfumados de rosas,
Nem para a impotência da minha raiva suicida,
Não eras belo e doce, o belo e doloroso.

Não eras para os meus sonhos, não eras para os meus cantos,
Não eras para o prestigio dos meus amargos prantos,
Não eras para a minha vida nem para a minha dor,
Não eras o fugitivo de todos os meus encantos.
Não merecias nada. Nem o meu áspero desencanto
Nem sequer o lume que pressentiu o amor.

Bem feito, é muito bem feito que tenhas passado em vão
Que a minha vida não se tenha submetido ao teu olhar,
Que aos antigos prantos se não tenha juntado
A amargura dolente de um estéril olhar.

Tu eras para o imbecil que te quisesse um pouco.
(Oh! Meus sonhos doces. Oh meus sonhos loucos!)
Tu eras para um imbecil, para um qualquer
Que não tivesse nada dos meus sonhos, nada(...) 

Não eras para os meus sonhos, não eras para a minha vida
Nem para os meus quebrantos nem para a minha dor,
Não eras para os prantos das minhas duras feridas,
Não eras para os meus braços, nem para a minha canção.

[Pablo Neruda]

Você não vale um poema. Um verso. A rima imperfeita. Uma letra para a melodia repetida no silêncio. Não vale. Você não vale a madrugada perdida. O amanhecer no sofá. A febre. O vômito. O grito. Uma foto rasgada. Um diário queimado. Os cabides quebrados. Não vale. Você não vale o corte riscando o pulso. Um punhado de remédios. Os discos tristes. Um solo de sax. A mão por horas sobre o telefone. A espera. Um carro no poste. Um soco na parede. O vaso jogado no chão, você não vale. Não vale um espelho trincado. O copo atirado. O gemido atravessando a cidade. O palavrão. Não. Você não vale o tempo perdido. A teimosia da busca. Mas eu lhe procuro. Ainda. Eu escrevo versos. Faço poemas. Eu amanheço na febre. Acelero contra o muro. Ouço discos riscados. Engulo comprimidos em punhados. Eu vomito. Você não sabe, não imagina. Mas eu não aprendi. Eu ainda faço tudo por alguém que não vale nada.

[Eduardo Baszczyn]
img: Natalie Portman

"Todos os amores deveriam ser possíveis. Pessoas não deveriam chegar, nem antes, nem depois. Tudo deveria ser exatidão, pontualidade vital para que o amor aconteça. A terra deveria girar com esse único propósito: o encontro das almas. O resto seria resto e tudo seria para sempre. Brilhar para sempre, brilhar como um faról. Brilhar com brilho eterno."

[Maiakóvski]
Img: Selton Melo em Lisbela e o Prisioneiro

Preste atenção no seu modo de vida e não se prenda a nada que te faça encolher. Amor que maltrata não traz paz, e o coração vai vivendo de migalhas até transbordar insatisfações, tristezas e choros.

[Cris Carvalho]

"Estou cansada de mentiras, de realidade, de telefone mudo...
(...)Me deixa ser egoísta. Me deixa fazer você entender que eu gosto de mim e quero ser preservada. Eu sou uma espécie quase em extinção: eu acredito nas pessoas. E eu quase acredito em você. Não precisa gostar de mim se não quiser. Mas não me faça acreditar que é amor, caso seja apenas derivado. Não me diga nada. (Ou me diga tudo). [...] Eu não me contento com pouco. (Não mais). Eu tenho MUITO dentro de mim e não estou a fim de dar sem receber nada em troca. Essa coisa bonita de dar sem receber funciona muito bem em rezas, histórias de santos e demais evoluídos do planeta. Mas eu não moro em igreja, não sou santa, não evoluí até esse ponto e só vou te dar se você me der também."

[Fernanda Mello]
Img: Hugh Laurie in House

terça-feira, 30 de setembro de 2014

"Sentimentos não são regidos por megabytes por segundo, não se vinculam a relógios, não obedecem a leis objetivas - é o curso da natureza que manda. E a natureza é surda e cega para o desatino. Exige a introspecção devida, sem a qual nada se resolve, só se mascara.
Diante da dor emocional, só há uma ordem a respeitar: paciência. De nada adianta inventar alegrias fajutas e se oferecer para a cobiça do mundo sem antes estar com a alma serenada e forte. É preciso saber esperar, do contrário a gente se atrapalha e só reforça a miséria existencial que preenche as madrugadas.

[Martha Medeiros]

"Você é culpado pela sua infelicidade. Pela sua felicidade. Pelo que você faz e recebe da vida. Decorou? Então tome nota. O que você plantou, estará na sua mesa. Não é fácil, eu sei. E eu digo isso porque preciso acordar. Eu não posso dizer que ele me decepcionou. Eu não tenho o direito de achar que meu coração tem duzentos e cinqüenta e cinco cicatrizes porque o amor é uma faca afiada que corta. Vamos jogar aberto. A culpa é minha. Eu dei meu coração. Eu criei expectativas. Então, com sua licença. A culpa é minha. "

[Fernanda Mello in Princesa de Rua]

A vida parece mesmo ser dividida em três fases: questionar, aceitar e agradecer. Ainda não vivenciei todas, mas sinto, dia após dia, tudo se encaminhar assim. É como se a lucidez viesse bem de mansinho pra não assustar, pra tudo ser compreendido de forma realmente determinante. 

É verdade que somos feitos de urgências, mas o sentido das coisas mora mesmo é na calmaria.

[Fernanda Gaona]

"Depois, o calendário mudou de página, agradeci. Aprendi que, cada pessoa que dança valsa no baile da minha vida, é um mestre que escreve, a giz, na folha da minha eternidade. Eu não culpo as pessoas que preferiram mudar de vagão. Eu as liberto de qualquer acusação. A vida é feita de escolhas e de laços, não de amarras nem de nós." 

[Cris Carvalho]

"Abra o coração. Estique o sorriso. Caminhe de mãos dadas. Enrole os braços em alguém. Coloque o coração pra perdoar. Diga palavras felizes ao acordar. Chore toda mágoa. Chore o mar inteiro. Balance uma criança. Quando se pensa no futuro portas devem ser abertas por dentro, ficar brilhante. Hoje não é dia de arrumar as memórias. Hoje é o dia de começar de novo. Sonhar de novo."
[Vanessa Leonardi]

;;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates