segunda-feira, 26 de abril de 2010

A hospedeira

Terminei o livro, finalmente. A demora foi porque no começo eu não me empolguei com ele, foi mais aos poquinhos e, sinceramente, foi mais do que eu imaginei. É um livro muito forte emocionalmente, me deixou de coração na mão em muitos momentos. Não é como a saga Crepúsculo, todo aquele romance, é mais sobre  a humanidade, o valor das relações humanas, a verdade, a honra e a consideração pelas relações que vamos formando, no caso do livro, que uma alienígena vai formando (no começo a contra gosto) no corpo de uma humana, adquirindo suas emoções e assim, conhecendo a humanidade, no que ela tem de pior e de melhor. O livro é surpreendente, eu indico totalmente, chorei, ri... É um livro sobre amor e suas diversas formas de mostrar-se.

      "O que tornava este amor humano muito mais desejável para mim que o amor da minha própria espécie? Seria porque era exclusivo e caprichoso? As almas ofereciam amor e aceitação a todos. Será que eu necessitava de um desafio maior? Este amor era enganoso; não tinha regras estritas invariáveis - podia ser dado de graça, como com Jamie, ou ser obtido mediante tempo e trabalho, como com Ian, ou ser completa e dolorasamente inalcançável, como com Jared.
       Ou simplesmente este amor de algum modo era melhor? Será que porque os humanos podiam odiar com tanta fúria, o outro lado do espectro lhes permitia que pudessem amar com mais coração, ardor e fogo?
        Eu não sabia por que desejara tão desesperadamente experimentá-lo. Tudo o que sabia, agora que o experimentara, é que valia todo grama de risco e angústia que custava. Era melhor do que eu havia imaginado.
         Era tudo."

[Stephenie Meyer in A hospedeira]

Leiam, é maravilhoso, lição de vida e amor ao próximo
Sim, há o comentário de que vai sair em filme também, por isso, por favor, leiam antes.

1 sentimentos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates