quinta-feira, 29 de setembro de 2011


"Felicidade independe de inúmeras circunstâncias para inaugurar recomeços. E eu sou uma mulher de muitos inícios. Então, se nublo, floresço – porque é o que eu faço de mais bonito." 

[Priscila Rôde]

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Conjugar

Palavra para a qual raramente se atina é conjugal. Por que conjugal? Porque viver junto (não me refiro apenas ao casamento contratual tradicional) é conjugar.
Conjugar é viver todos os tempos e pessoas dos verbos. É saber ser eu, ser tu, ser ele, ser nós, ser vós e ser eles, sem perda da individualidade fundamental.
Conjugar é viver vários tempos – presente, passado e futuro – e várias pessoas em nós.
Conjugar é, pois, articular a complexidade de cada ser com a complexidade do parceiro/a.
Mas conjugar é, também, com+jugo. É estar com o jugo amoroso do outro. É com jugar. Não é subjugar (como no machismo tradicional). É estar não sob o jugo, mas com o jugo (compreensivo e amoroso) do outro. É estar com a vivência do amor em todas as pessoas (eu, tu, ele, nós, vós, eles). É ser vários em um. É uma troca permanente e não a imposição de uma das partes.
Conjugal, cônjuge, portanto, mais do que a palavra tornada fria pelo uso, possui o sentido profundo de conjugação, integração, articulação do par amoroso, através de uma união que pode se chamar casamento, amor, amizade colorida, transa, tanto faz. Cônjuge é quem conjuga com e não quem mora com ou tem o papel assinado ratificando o caráter legal da união.
Para conjugar o verbo amar é preciso conjugar o verbo ser. O amar é um exercício de felicidade, não de poder.

[Artur da Távola]


"(...)Não gosto de meias-palavras, de gente morna, nem de amar em silêncio. Aprendi que palavra é igual oração: tem que ser inteira senão perde a força. E força não há de faltar porque – aqui dentro – eu carrego o meu mundo. Sou menina levada, sou criança crescida com contas para pagar. [...] Trabalho igual gente grande, fico séria, traço metas. Mas quando chega a hora do recreio, aí vou eu... Escrevo escondido, faço manha, tomo sorvete no pote, choro quando dói, choro quando não dói. E eu amo. Amo igual criança. Amo com os olhos vidrados, amo com todas as letras. A-M-O. Sem restrições. Sem medo. Sem frases cortadas. Sem censura. Quer me entender? Não precisa. Quer me fazer feliz? Me dê um chocolate, um bilhete, um brinde que você ganhou e não gostou, uma mentira bonita pra me fazer sonhar. Não importa. Todo dia é dia de ser criança e criança não liga pra preço, pra laço de fita e cartão com relevo. Criança gosta mesmo é de beijo, abraço e surpresa!

(E eu – como boa criança que sou – quero mais é rasgar o pacote!)"

[Fernanda Mello in Folhinha de Abacate ninguém me combate]

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Tem um poema da Florbela Espanca que diz assim: “As coisas vêm a seu tempo/ quando vêm, essa é a verdade”. Um dia a coisa sai. E eu acredito no mecanismo do infinito, fazendo com que tudo aconteça na hora exata.

[Caio Fernando de Abreu in “Cartas”]

"Sobre cada dia ela se equilibrava nas pontas dos pés, sobre cada frágil dia que de um instante para o outro poderia se partir e cair em escuridão. Mas ela milagrosamente o atravessava e exausta de alegria e cansaço chegava a dormir para o dia seguinte surpreendida recomeçar."

[Clarice Lispector]

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

"Sempre há uma razão para se viver.
Podemos nos elevar sobre nossa ignorância,
podemos nos descobrir como criaturas
de perfeição, inteligência e habilidade.
Podemos ser livres!
Podemos aprender a voar!

[Richard Bach in Fernão Capelo Gaivota]

Na fé, eu sou capaz de me dizer, com amorosa humildade, que grande parte das vezes eu não sei o que é melhor para mim. Eu não sei, mas Deus sabe. Eu não sei, mas minha alma sabe. Então, faço o que me cabe e entrego, mesmo quando, por força do hábito, eu ainda dê uma piscadinha pra Deus e lhe diga: “Tomara que as nossas vontades coincidam”. Faço o que me cabe e confio que aquilo que acontecer, seja lá o que for, com certeza será o melhor, mesmo que algumas vezes, de cara, eu não consiga entender. 

[Ana Jácomo]

"Quero abra cadabra, quero construir passagens em paredes de pedra, quero plantar flores no deserto, encontrar caminhos em mata fechada.
 Quero que o céu se abra e derrame bençãos sem medida, que o perdão se faça presente, que o orgulho se faça ausente, quero abrir passagem, abrir sorrisos, acreditar no impossível."

[Renata Fagundes]

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

"Feliz Primavera para tudo o que realmente importa e diz ao coração de cada um de vocês. Que as mudas que vinham sendo cultivadas possam dizer. Possam florir. Possam emanar amor e luz para os jardins do mundo."

[Ana Jácomo]

"Contar com a sorte, com o destino e esperar um milagre nas horas impossíveis e doloridas são coisas que deixam a vida mais bonita. Fé, força, esperança. Sem estas três palavrinhas tão corriqueiras mas significativas eu não teria o orgulho de ser quem eu sou, não veria a vida bonita como consigo ver. Caio e levanto, levanto porque a esperança impulsiona, a fé me faz sentir melhor por acreditar e me dá a força que me proporciona o lutar e continuar."


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Aquela garota "boazinha"

"Não gosto de quem se faz de santa, de prestativa, de solícita, de legal. Não gosto de quem fala miando, se finge de sonsa, faz caras e bocas. Não gosto de gente artificial, que tem duas caras, dois jeitos, dois comportamentos. Sou a favor da transparência, de gente de verdade, sem retoques, sem artifícios. Tenho pavor de mulher fingida. Que se finge de morta, mas no fundo rebola o tempo todo, faz cara de atriz pornô pra ser notada e depois diz que ah-é-meu-jeito-sou-assim. Tenho pavor de mulher que se insinua o tempo inteiro e depois diz não-entendo-porque-todo-mundo-olha-pra-mim. Pavor.
Tem mulher que perde a linha. Com esse tipo, perco o rebolado. Quase esqueço a classe em casa. É que gente de mentira me tira do sério. Além disso, tenho horror de biscate. Acho que no fundo são todas perdidas, infelizes, coitadas, mal amadas. Precisam de atenção 24 horas. E esquecem que pra gente ter atenção de verdade precisa, em primeiro lugar, ser verdadeira. Com a gente mesma."

[Clarissa Corrêa]

Foto:Leighton Meester e Taylor Momsen


"Era como se ele fosse um daqueles vestidos que não são do seu estilo, mas mesmo assim você experimenta." 

[Carrie Bradshaw in episódio 3 da primeira temporada de Sex and the City]

Foto: Sarah Jessica Parker e Chris Noth in ensaio - Carrie e Mr. Big

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Foi e foi e foi. Aquilo que dizem sobre o que é pra ser. Simplesmente fomos e continuamos sendo. Vejo você me olhar sabendo que, inexplicavelmente, justo eu, te aceito seja lá como for. Você, idem. Não fomos fáceis a nada e nem a ninguém, mas cá estamos!”

[Tati Bernardi]

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Eu prefiro as pessoas que conseguem ver o lado claro das coisas mesmo que todo dia anoiteça. Gente que se abala com os fatos sim, mas que não quer derrubar a estrutura do outro só pra vê-lo no mesmo nível em que estão. Com o tempo a gente aprende que todos têm o ônus e o bônus, mas poucos conseguem carregar dores e doçuras sem despejar em ninguém suas amarguras. Eu ainda acredito mais em sonhadores incuráveis do que em caçadores de mágoas.

Maturidade

"Amadurecer foi retirar os rostos e as peles e começar a ver no espelho o verdadeiro eu onde se lê uma severa contabilidade dos gastos e dos lucros, saldos nem sempre tranquilizadores. Quanto de amargura, quanto de amor sobrou, quanta capacidade de se renovar? Entender que não precisamos ser onipotentes é uma das maiores libertacões. Ninguem pode ser totalmente responsabilizado pela sorte de ninguem, por seus erros e acertos, por sua solidão ou felicidade - a não ser na medida justa, em que se é responsavel por quem se ama, dentro dos limites de cada um. Na maturidade percebe-se que não importa tanto o que fizeram conosco, mas o que fizemos com o que eventualmente nos aconteceu. É uma indagação dramática, que na juventude parece algo a resolver num futuro muito remoto. Mas de repente, tinham se passado vinte anos. E nós, e nós? Precisamos descobrir que amadurecer não significa desistir nem estagnar."

[Lya Luft]

Foto: Keira Knigtley in Desejo e Reparação

Desacelerar?

"Eu preciso aprender a ser menos. Menos dramática. Menos intensa. Menos exagerada. Alguém já desejou isso na vida: ser menos? Pois é. Estranho. Mas eu preciso. Nesse minuto, nesse segundo, por favor, me bloqueie o coração, me cale o pensamento, me dê uma droga forte para tranqüilizar a alma. Porque eu preciso. E preciso muito. Eu preciso diminuir o ritmo, abaixar o volume, andar na velocidade permitida, não atropelar quem chega, não tropeçar em mim mesma. Eu preciso respirar. Me aperte o pause, me deixe em stand by, eu não dou conta do meu coração que quer muito. Eu preciso desatar o nó. Eu preciso sentir menos, sonhar menos, amar menos, sofrer menos ainda. Aonde está a placa de PARE bem no meio da minha frase? Confesso: eu não consigo. Nada em mim pára, nada em mim é morno, nada é pouco, não existe sinal vermelho no meu caminho que se abre e me chama. E eu vou... Com o coração na mochila, o lápis borrado, o sorriso e a dúvida, a coragem e o medo, mas vou... Não digo: "estou indo", não digo: "daqui a pouco", nada tem hora a não ser agora. Existe aí algum remedinho para não-sentir? Existe alguma terapia, acupuntura, pedras, cores e aromas para me calar a alma e deixar mudo o pensamento? Quer saber? Existe. Existe e eu preciso. Preciso e não quero."


[Fernanda Mello]

"Sou dessa leva de gente que tem como sina ver demais. Sentir demais. Amar quase do tamanho do amor. Traço de nascença, uma estranha dádiva que, durante temporadas, pra facilitar a própria vida, egoísmo que seja, a gente tenta disfarçar de tudo que é maneira que aprende. Mas não tem jeito, nunca terá, nascer assim é irremediável, o que é preciso é desaprender o medo."


[Ana Jácomo]

domingo, 18 de setembro de 2011

"O tempo deveria ter o ritmo dos nossos passos. Horas a menos para dias de trabalho exaustivo, minutos a mais para um café e idéias em ordem, um tempo maior para edredom, frio e pernas emboladas, horas perdidas no aconchego dos braços, pouco tempo para gente que não te acrescenta em nada, muito tempo para beijos melados de balas, tempo em câmera lenta para contar estrelas, dias inteiros para sentar no parque, ler um livro, falar com os amigos. Quero pantufas de minutos confortáveis. "

[Renata Fagundes]

Mas eu digo mais.
Digo, então, que ela é uma menina com uma flor e seus encantos.
Tipo bruxa que faz magia pro bem.
E ela é assim, mesmo fragmentada depois da luta, ela parece toda inteira.
Porque leva no bolso aquele monte de girassóis que eu lhe enviei por meio do vento.
E nos lábios carrega, ainda, aquela prece poderosíssima:
"Andarei vestida e armada com as armas de São Jorge. Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me enxerguem e nem em pensamento eles possam me fazer mal."
E, assim, ninguém a alcança.
Vai ver porque ela não é mesmo daqui.
Veio de qualquer outro mundo distante, onde o coração pesa mais na balança.
De um lugar onde se trocam carinhos na alma.

[Cris Carvalho]

sábado, 17 de setembro de 2011

"Acredito na bondade sem disfarce, nos rostos sem máscaras e doses de paciência que removem montanhas, no carinho e na amizade. Creio na palavra que cura, nas canções que embalam sonhos, nos risos gratuitos, na bússula do lado esquerdo que sempre indica o caminho. Eu nasci pra acreditar. E esperança, minha gente, é o que anda comigo."

[Cris carvalho]

É preciso ter olhos frescos para sermos capazes de admirar belezas aparentemente antigas. A beleza envelhece quando o olhar da gente perde o viço. Toda beleza é capaz de vestir roupa nova porque outro também é o nosso olhar. Não ignoro o sofrimento, não banalizo as dores que a gente sente, que não são poucas. Como a maioria de nós, num único dia, visito territórios dos mais diversos sentimentos e às vezes é bem difícil experimentar alguns deles. Mas, eu acho que, à parte os embaraços do caminho, quando a gente se fecha para a beleza do mundo, a vida fica insípida. Quero continuar a ter esse olhar capaz de se encantar com coisas que vê mesmo quando, particularmente,a minha história se torna difícil de ser lida. Por elas, largo as sacolas do supermercado no chão para, por alguns instantes, ser apenas aquela que as contempla. Os problemas continuam, mas o coração ganha um doce que muitas vezes nos ajuda a temperar os amargos.

[Ana Jácomo]

" Uma estrela espera-te desde toda a eternidade. Procura-a. 
E vê se a não perdes durante a vida inteira. 
A tua estrela pode não estar no céu.Põe-na lá." 

[Virgilio Ferreira]

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

"Tem dias que não estamos pra samba, pra rock, pra hip-hop (...) Que nos deixem quietos, que a quietude é armazenamento de força e sabedoria, daqui a pouco a gente volta, a gente sempre volta..."
[Martha Medeiros]
Foto: Renée Zellweger in o Diário de Bridget Jones


"E tem o seguinte: 
não vamos enlouquecer, nem nos matar, nem desistir. 
Pelo contrário, vamos ficar ótimos e incomodar bastante ainda."
[Caio Fernando Abreu]

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Eu vou nomeando meus sonhos um por um.
Colocando metas, fazendo projetos,
com os dedos cruzados e minhas melhores vibrações.
Claro que eu me frustro, faz parte da vida.
Mas meu chão eu fiz de mola.
Posso cair todos os dias, mas o resultado 
da minha queda é o impulso.

"Foi quando começou a não se importar tanto de sentir tanto medo, que ouviu o convite, ainda tímido, quase sussurro, do próprio coração, esse sabedor do que, de verdade, importa: "volta, com medo e tudo". Foi. E começou a redescobrir que coragem, na maioria das vezes, é apenas voltar para o próprio coração [...] é apenas sair do lugar [...]é apenas seguir. com medo e tudo."

[Ana Jácomo]


“Tentaram me fazer acreditar que o amor não existe e que sonhos estão fora de moda. [...] Mas como menina-teimosa que sou, ainda insisto em desentortar os caminhos. Em construir castelos sem pensar nos ventos. Em buscar verdades enquanto elas tentam fugir de mim. A manter meu buquê de sorrisos no rosto, sem perder a vontade de antes. Porque aprendi, que a vida, apesar de bruta, é meio mágica. Dá sempre pra tirar um coelho da cartola. E lá vou eu, nas minhas tentativas, às vezes meio cegas, às vezes meio burras, tentar acertar os passos. [...] Eu sei que vou. Insisto na caminhada. O que não dá é pra ficar parado. Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo, eu tiro um arco-íris da cartola. E refaço. Colo. Pinto e bordo. Porque a força de dentro é maior. Maior que todo mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários. É maior porque é do bem.E nisso, sim, acredito até o fim. O destino da felicidade, me foi traçado no berço.” 


[Cris  Carvalho]

terça-feira, 13 de setembro de 2011

"Sou uma ótima companhia para mim mesma, adoro ficar sozinha, lendo, escrevendo ou fazendo o meu nada. Prefiro me afundar em mim a ter que ouvir gente falando merda ou contando vantagem."

[Fernanda Mello]

Foto: Leighton Meester

"Não me deem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente."

[Clarice Linspector]

Foto: Natalie Portman

segunda-feira, 12 de setembro de 2011


Eu sempre estive entre aspas. Ficar triste é um sentimento tão legitimo quanto a alegria. Reclamar do tédio é fácil, difícil é levantar da cadeira pra fazer alguma coisa que nunca foi feita. Queria não me sentir tão responsável pelo que acontece em meu redor. Felicidade é a combinação de sorte com escolhas bem feitas. Pessoas com vidas interessantes, interessam-se por gente que é o oposto delas. Emoção nenhuma é banal se for autêntica. Dar certo não está relacionado ao ponto de chegada, mas ao durante. O prazer está na invenção da própria alegria, porque é do erro que surgem novas soluções, os desacertos nos movimentam, nos humanizam, nos aproximam dos outros. Enquanto o sujeito nota 10, nem consegue olhar pro lado, sobe pena de ver seu mundo cair. O mundo já caiu, baby, só nos resta dançar sobre os destroços. Nosso maior inimigo é a falta de humor.

[Martha Medeiros]

Apenas eu

E eu, como estava dizendo, sempre quis ser dessas mulheres imperfuráveis, inatingíveis, inaudíveis e incompreensíveis. Mas nunca consegui. Quando vou ver, já contei minha vida pra primeira pessoa que me deu um pouco de atenção. Já to rindo alto no restaurante porque não me controlei e fiquei feliz demais. 
[...]
E quando vou ver, lá se foi a mulher misteriosa que eu gostaria tanto de ser. Porque eu jamais poderia ser uma. E sofri anos com isso. Até que resolvi conviver de perto com algumas mulheres misteriosas para tentar descobrir o que se passa na cabeça e na alma desses seres incríveis que nunca têm nada a dizer, a doer, a aconselhar, a cantar, a dançar, a morrer de rir, a fofocar, a detalhar, a exagerar, a sonhar, a dividir, a acrescentar. E descobri que a coisa era muito mais simples do que eu imaginava: nada. Não se passa nada de relevante nem na cabeça e nem na alma dessas mulheres. 

[Tati Bernardi]
Foto Jennifer Aniston

“Tenho agradecido por estar vivo e ter andado por todos os lugares onde andei e ter vivido tudo o que vivi e ser exatamente como eu sou.”
[Caio Fernando Abreu]

Parabéns Caio, 
Obrigada pelos conselhos, por entender e conseguir explicar, mesmo quando eu não consigo.

"E a vida sempre estende a mão pra quem ciranda com ela. E então, sua história muda, orgulhos e tristezas são sentimentos feitos pra deixar de lado. Afinal e ainda bem, sentimento também muda.
[...]
Dores vão e vem, mas enquanto tiver um sorriso no meio do caminho, um ombro pra encostar, uma piscada pra esquecer, um céu azul, uma janela aberta e um amanhecer de primavera você vai querer se reerguer e ver que quem perdeu não foi você."

[Vanessa Leonardi]

Foto: Lindsay Lohan

domingo, 11 de setembro de 2011

Uma vida sem sustos.É o que desejo pra mim.
Não estou dizendo uma vida sem decepções,
frustrações ou êxtases: sem sustos apenas.
Quero aceitar a potência dos meus sentimentos 
e não ficar embaraçada diante de reações incomuns.
Poder receber uma ventania de pé, mesmo que ela me desloque de onde eu estava.
De pé, mesmo com medo.

[Martha Medeiros]

"Eu jamais chegaria aonde cheguei se só andasse em linha reta. Tive que voltar atrás, andar em círculos, perder dias, perder o rumo, perder a paciência e me exaurir em tentativas aparentemente inúteis pra encontrar um quase endereço, uma provável ponte: a entrada do encontro... Acertei o caminho não porque segui as setas, mas porque desrespeitei todas as placas de aviso." 
[Marla de Queiroz]

"Quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim."

 [Cecília Meirelles]

Minha verdade sempre será questionada, mas não me justifico, não preciso. Acredito que quem me ama me aceita assim, com uma certa insanidade dosada, com essa sinceridade escancarada. 
Cara lavada, braços abertos, briga da boa, aconchego, afeto. 

[Renata fagundes]

Foto: Leighton Meester

"As pessoas acham que alma gêmea é o encaixe perfeito
mas a verdadeira alma gêmea é um espelho,
a pessoa que mostra tudo que está prendendo você,
a pessoa que chama atenção para você mesmo
para que você possa mudar sua vida.

Uma verdadeira alma gêmea é provavelmente a pessoa
mais importante que você vai conhecer.
Porque elas derrubam suas paredes e te acordam com um tapa.
Mas viver com uma alma gêmea para sempre?
Não. Dói demais.

As almas gêmeas só entram na sua vida para revelar
a você uma outra camada de você mesmo, e depois vão embora."


[Filme: Comer, Rezar, Amar]

Foto: Julia Roberts  e Javier Bardem   


Ela está decidida, daqui pra frente, só andar rodeada por gente do bem. Praquelas que não sabem brincar de VERDADE, ela tem vários amuletos e uma oração poderosíssima. Ela quer o mal fora dela e mais amor pra recompensar. Ela quer sorrisos preenchendo os lugares. Ela quer botar o FIM no seu devido lugar. Ela quer uma história toda-dela, que começa agora, depois desse ponto final.

[Cris Carvalho]

Muita coisa mudou. Deletei um monte de gente da minha vida. Tudo sem um pingo de remorso. Quem me conhece sabe que eu nunca fui assim. Sempre dei segundas, terceiras e décimas chances pra todo mundo. Sempre compreendi os erros alheios. Chorei e sofri junto. E passei a mão na cabeça de quem fingia querer o meu bem. Estou mentindo? A verdade é que, se me analisarem hoje, eu virei outra pessoa. Sou quase a mesma de sempre, mas sinto que não sou mais boazinha. Minha tolerância acabou, minha intuição fareja à distância uma cabecinha ruim. Não aceito mais ser amiga de gente mal-resolvida e que me ferra pelas costas. Não tenho raiva de ninguém, mas minha prioridade agora é uma só: Eu. Chega uma hora na vida que a gente tem que parar de ser boa com os outros e ser boa – primeiramente – com a gente. Outro dia uma amiga me disse uma frase que prometi não esquecer: Quando o ‘ajudar ao outro’ começa a te prejudicar, chegou a hora de parar. Ok. Me desculpem, então, os que larguei à deriva. Eu não vou tolerar ninguém que me faça ter sentimentos que não sejam incríveis. É uma questão de respeito com a minha própria vida. E comigo mesma. Não quero. Não posso. Não vou. Então pra você que acha que eu sou a mesma besta de sempre (que escuta, releva e põe panos quentes), um aviso: Tome cuidado comigo. Porque agora que eu sei o que me é caro, não vou mais deixar barato .

[Brena Braz]

Sem maquiagem, com marcas de lençol e travesseiro, completamente
não produzida, rosto inchado. Recém amanhecida.
Era assim que ele a amava.

[Laion Monteiro]


“Algumas histórias não tem um início, meio ou fim definidos. A vida é não saber, é ter de mudar, é aproveitar o momento e fazer o melhor sem saber o que vai acontecer a seguir. 
Deliciosa ambiguidade…”

[Gilda Radner]

"Tudo que sabemos a respeito do amor é inacabado. A cada pretensa linha de chegada, o nosso entendimento se depara com uma nova linha de partida. A cada porta atravessada, encontramos mais à frente uma outra para ser aberta. Fonte inesgotável de vida, o amor é um caminho que clareia, progressivamente, à medida em que o percorremos. É como se cada passo nosso descortinasse um pouco mais da sua luz. A jornada é feita de dádivas e alegrias, mas também de imprevistos, embaraços, inabilidades, lições de toda espécie. De vez em quando tropeçamos nos trechos mais acidentados. Depois levantamos e prosseguimos: o chamado do amor é irrecusável para a alma. Desistir dele para ela, é como desistir de respirar."
[Ana Jácomo]

sábado, 10 de setembro de 2011

Abençoadas sejam as surpresas risonhas do caminho. As belezas que se mostram sem fazer suspense. As afeições compartilhadas sem esforço. As vezes em que a vida nos tira pra dançar sem nos dar tempo de recusar o convite. As maravilhas todas da natureza, sempre surpreendentes, à espera da nossa entrega apreciativa. A compreensão que floresce, clara e mansa, quando os olhos que veem são da bondade. 
Abençoados sejam os presentes fáceis de serem abertos. Os encantos que desnudam o erotismo da alma. Os momentos felizes que passam longe das catracas da expectativa. Os improvisos bons que desmancham o penteado arrumadinho dos roteiros da gente. Os diálogos que acontecem no idioma pátrio do coração. 

Abençoada seja a leveza, meu Deus. Abençoadas sejam as dádivas generosas que vêm nos lembrar que viver pode ser mais fácil. Que amar e ser amado pode ser mais fluido. Que dá pra girar o dial. Que dá pra sair da frequência da escassez e sintonizar a estação da disponibilidade, onde alegrias já cantam, mas a gente não ouve. 


Abençoadas sejam as dádivas que vêm nos lembrar, com alívio, que há lugares de descanso para os nossos cansaços. Que há lugares de afrouxamento para os nossos apertos. Que dá pra mudar o foco. Que não é tão complicado assim saborear a graça possível que mora em cada instante.

Abençoadas sejam as dádivas generosas que nos surpreendem. Elas não sabem o quanto às vezes, tantas vezes, nos salvam de nós mesmos.
[Ana Jácomo]

Todo mundo sente medo, sente dor, tenta consertar o que não tem conserto, carregamos marcas que não se apagam, ausências que fazem doer o peito.
Mas ainda é possível ouvir estrelas.
Deixar que nossa luz nos oriente.
Ainda podemos rir como se a alegria fosse nosso melhor adereço.
Acredito que pés descalços é o luxo da alma.
Que estar perto é menos físico que a gente pensa.
Que olhos falam, palavras estragam, e silêncio grita.
Que a gente quer amar pra sempre, abrir o peito, recitar poema, sem se preocupar com o que os outros pensam.
Sei que o que mais vale a pena é chamado de coisa pequena, que vira importante quando a gente deixa de achar que é grande.


[Renata Fagundes]

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

"Força e fé. Repete comigo."

[Caio Fernando Abreu]

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

"Que o azedume de certos dias 
não tenha o poder de contaminar nossa doçura."

"Que Deus ouça também as preces que lhe dirijo quando me parece que eu não acredito em mais nada. Quando sou incapaz de ver qualquer coisa além do foco onde coloco a minha dor. Quando não consigo articular meus pensamentos nem entrar em contato com alguma doçura que me faça lembrar das coisas que realmente nos movem. Quando não lhe dirijo nenhuma prece. Nem com palavras. Nem com um sorriso enternecido quando dou de cara com uma flor. Com um pôr-de-sol. Com uma criança. Com uma lua cheia. Com o cheiro do mar. Com o riso bom de um amigo. Que ele me ouça com o seu ouvido amoroso e me acolha no seu coração, porque é exatamente nesses momentos que eu não consigo ouvi-lo em mim."

[Ana Jácomo]

terça-feira, 6 de setembro de 2011

“Eu sou mais forte do que eu” (assim como escreveu Clarice Lispector) e apesar do meu corpo fraquejar, minha alma não desiste da esperança, porque ela sabe que a felicidade não é algo que se busca, mas que está presente nas pequenas coisas do nosso dia-a-dia. E por isto mesmo eu sigo sorrindo, mesmo que às vezes eu chore. E eu choro. Mas estou sorrindo agora.  Sim, eu sou estranha, mas querem saber? Eu gosto muito de mim!” 
[Ana Jácomo]

"Meus vincos, rugas, e cicatrizes, contam histórias do como eu fui e escrevem-me num tempo onde eu sou... É o passado quem tatua as digitais da vida...Erros e acertos... sinto-me irrevogavelmente insubstituível e única. Fui-me, sou-me, e isso a mim basta!"

[Ericka Azevedo]

;;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates