segunda-feira, 30 de abril de 2012

''Chega um momento em que a gente se dá conta de que, às vezes, para sermos verdadeiros com nós mesmos, precisamos ter o desprendimento para abençoar as tentativas sem êxito, agradecer pelo o que cada uma nos ensinou, e seguir. De que, às vezes, para se reconstruir, é preciso demolir construções que, por mais atraentes que sejam, não são coerentes com a ideia da nossa vida. A gente se dá conta do quanto somos protegidos quando estamos em harmonia com o nosso coração. De que o nosso coração é essencialmente amoroso, o bordador capaz de tecer as belezas que se manifestam no território das formas. De que, sabedores ou não, é ele que tem as chaves para as portas que dão acesso aos jardins de Deus. E, vez ou outra, quando em plena comunhão criativa, entra lá, pega uma muda de planta e traz para fazê-la florescer no canteiro do mundo. ''

[Ana Jácomo]

''Eu espero que a vida te surpreenda e que você não se prenda, não se acanhe, não duvide. Porque parte das coisas boas vem das lutas, mas a outra parte vem sem avisar. Eu desejo que os dias te peguem desprevenido, desajeitado, despreocupado. Afinal, o que não foi programado também funciona, nem toda ação inesperada merece ser descartada e algo não planejado pode vingar.

A regra às vezes é não ter regra. E via de regra, funciona!''

[Fernanda Gaona]

domingo, 29 de abril de 2012


"Desabroche para o mundo que está além da sua janela."

[Bibiana Benites]

Img: Jennifer Morrison e Sebastian Stan in Once Upon a Time, 1ª temporada

sábado, 28 de abril de 2012


"Toda saudade é uma espécie de velhice.” Velhice não se mede pelos números do chronos; ela se mede por saudade. Saudade é o corpo brigando com o chronos. De novo o mesmo poema de Ricardo Reis: ele fala do deus atroz que os próprios filhos devora sempre”. Chronos é o deus terrível que vai comendo a gente e as coisas que a gente ama. A saudade cresce no corpo no lugar onde chronos mordeu. É um testemunho da nossa condição de mutilados – um tipo de prótese que dói.
Kairós mede a vida pelas pulsações do amor. O amor não suporta perder o que se amou." 

[Rubem Alves in “O AMOR QUE ACENDE A LUA – Um caso de amor com a vida”]
Img: Keira  Knigltey  in   Last Night

sexta-feira, 27 de abril de 2012

"Ele estava vivendo longe. Eu te sinto em alguma parte e não sei onde estás - conseguia ela pensar em palavras. Seu amor era tão fino que ela sorriu constrangida, atravessada por uma frígida sensação de existir. Parecia-lhe extremamente estranho que nessa mesma noite ele vivesse nesse mesmo mundo, que não estivessem juntos e ela não visse o que ele fazia, tão mais forte que a distância era o seu pensamento de amor. Amor era assim, não se compreendia a separação - concluía com docilidade." 

[Renata Fagundes]

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Salve o amor

Salve o amor. Aquele de conchinha e barba na nuca, que pode durar pra sempre ou só até amanhã. Aquele amor sem medo, sem freio, que ama e pronto. Salve o amor que a gente dá e pega de volta outra hora, outro dia, com outra pessoa. Aquele aconchego facinho que não posa, não se esforça, não finge. Salve o amor-próprio, que resolve a vida de muitos, o amor das amigas, que aguenta, arrasta e levanta. Salve o amor na pista, que roça, se esfrega, se joga e vai embora. um amor só pra hoje, sem pacote pra presente, sem laço ou dedicatória. Salve o primeiro amor, que rasgou, perfurou, corroeu... ensinou. Salve o amor selvagem, o amor soltinho, o amor amarradinho. Salve o amor da madrugada, sincero enquanto dure e infinito posto que é chama. Salve o amor nu, despido de inverdades e traquitanas eletrônicas. Salve o amor de dois a dez, um amor sem vergonha, sem legenda. Salve o amor eterno, preenchido de muitos ardores. Salve o amor gigante, mas sem palavras, o rotativo e o escrito, salve o amor rimado, cego, de quatro. Salve o amor safado, sincero e sincopado, o amor turrão e o encaixado. 

[Lia Block]

quarta-feira, 25 de abril de 2012

"Convido ao pecado a senhora respeitável
que sabe o que não se deve fazer depois da meia-noite
hora dos anjos e santos e só deles
não serão eles nós mesmos disfarçados?

Convido ao pecado o homem que se declara honesto
que se intitula um sábio, que se confere nobreza
a humildade é a anticachaça, venha servir-se, gênio
da dose que lhe falta, o humano declarado

Convido ao pecado a moça ingênua que por dinheiro
é capaz dos aos mais violentos contra si própria
boba metida a esperta, dona de coisa nenhuma
que tenha coragem para resgatar o amor que lhe tem sido confiscado

Convido ao pecado o sargento, o coronel, o rei das fardas
que baixe o tom de voz, vista uma bermuda surrada
que leia livros, ouça música, mande e desmande sorrindo
e faça sexo como qualquer soldado

Convido ao pecado as paredes que escutam tudo errado
Convido ao pecado as igrejas que às evidências se têm negado
Convido ao pecado um certo silêncio contaminado
Convido ao pecado todas as regras de mercado

 [Martha Medeiros in Cartas Extraviadas e outros poemas]

terça-feira, 24 de abril de 2012

"Dizem que há diversas maneiras de mentir; mas a mais repugnante de todas é dizer a verdade, a verdade inteira, ocultando a alma dos fatos. Porque os fatos são sempre vazios, são recipientes que vão tomar a forma do sentimento que os preencha." 

[Juan Carlos Onetti, in “O poço/ Para uma tumba sem nome”]

"Não pense que o mundo acaba
Ali onde a vista alcança
Quem não ouve a melodia
Acha maluco quem dança
Se você já me explicou
Agora muda de assunto
Hoje eu sei que mudar dói
Mas não mudar dói muito..."


[Oswaldo Montenegro]

segunda-feira, 23 de abril de 2012

DIA MUNDIAL DO LIVRO

"De repente senti muita fome. Não de comida, mas de todas as palavras escondidas naquelas estantes. Mas eu sabia que, por mais que eu lesse por toda a minha vida, nunca conseguiria ler um milésimo de todas as frases que já foram escritas. Sim, pois há tantas frases no mundo como há estrelas no céu. E elas se multiplicam e se expandem continuamente, como o espaço infinito.
Mas ao mesmo tempo eu sabia que a cada vez que eu abrisse um livro, eu veria um pedacinho desse céu. Sempre que lesse uma frase, saberia um pouco mais do que antes. E tudo o que leio faz o mundo ficar maior, ficando maior eu também. Por um momento, eu contemplei o fantástico, o mágico mundo dos livros."

[Jostein Gaarder e Klaus Hagerup in A Biblioteca Mágica de Bibbi Bokken]


"Assim me apaixonei pelos livros – pela noite que neles nos invade, quando os abrimos, pela noite que neles nos resiste, depois de lidos, relidos e fechados. Pela noite que prossegue, incansável, entre as palavras, as palavras sem dono, escritas da ausência para a ausência."

[Inês Pedrosa in Fazes-me Falta]

DIA MUNDIAL DO LIVRO
 
Existe algo mais belo neste mundo do que as letras? Sinais mágicos, vozes dos mortos, peças de mundos maravilhosos, melhores do que este. Elas consolam e espantam a solidão. São guardiãs de segredos, arautos da verdade…"
                       
[Cornelia Funke in “Coração de Tinta”]

domingo, 22 de abril de 2012

"Porque ela aprendeu com a vida que ser feliz é mais fácil, então ela não dá voz ao choro e aos maus pensamentos. Desobedece a tristeza dez vezes ao dia. E não pensa duas vezes antes de colocar um sorriso no rosto."

sábado, 21 de abril de 2012

"Não me peça um ponto final
não acredito no definitivo
sou feita de
reticências..."

[Renata Fagundes]

sexta-feira, 20 de abril de 2012

"Desmediocrize sua vida. Procure seus "desaparecidos", resgate seus afetos.  Aprenda com quem tiver algo a ensinar, e ensine algo àqueles que estão engessados em suas teses de certo e errado. Troque experiências, troque risadas, troque carícias. Não é preciso chegar num momento limite para se dar conta disso. O enfrentamento das pequenas mortes que nos acontecem em vida já é o empurrão necessário. Morremos um pouco todos os dias, e todos os dias devemos procurar um final bonito antes de partir."

[Martha Medeiros]

quinta-feira, 19 de abril de 2012

"No caminho onde o amor impera, existe uma felicidade guardada que ora se derrama, ora se dosa a conta-gotas quase que para provocar um receio. É que não estamos nunca de todo conquistados e até os laços mais eternos também têm suas fragilidades. E, ao mesmo tempo em que numa relação saudável podemos ser tão transparentes, há um pequeno mistério a ser constantemente desvendado. Como se em determinados momentos, tivéssemos que segurar o suspiro, ou guardar a frase de efeito para hora mais adequada. Como quando mesmo com muita vontade de dormir junto, tivéssemos que escolher a saudade pra valorizar aquele abraço. Amor assusta e dói, mesmo quando é só prazer. Toda possibilidade de passo contém em si a do tropeço. E é assim que a vida trama o inusitado para que a alegria não se esvazie na previsibilidade dos tempos. Não existe fórmula para que o amor dê certo, posto que tudo é tão dinâmico sempre.  Mas existem duas virtudes que suavizam quaisquer conflitos: a compreensão e a paciência. Compreender é um exercício de alteridade: você, ao invés de julgar, se coloca no lugar do outro numa passividade profunda até que haja sentido nas atitudes, pensamentos e argumentos dele. E a paciência que se precisa ter pra esperar os processos, o amanhecer, a chegada do fim da tarde pro reencontro. Paciência para esperar que todos os sentimentos se acomodem em meio a todo aquele amor desmesurado. Em meio a todo aquele medo de que tudo dê errado. Compreensão e paciência podem preencher o vazio mais maciço. E as duas provêm de uma sensibilidade lapidada. O que se ganha com isso, além de uma evolução mútua dentro de um relacionamento, é um melhoramento individual de ambas as partes. Estar com alguém sem transformar-se é esterilizar uma importante etapa de aprendizado.  Estar com alguém sem conhecer-se é subjugar o Universo que existe em cada um. Estar com alguém sem estar inteiro é minar a oportunidade mais especial de encontro. Não é preciso aceitar para compreender, nem estar passivo pra ser paciente. O que essas duas virtudes exigem é respeito: por si, pelo outro e pelo desenrolar dos fatos. Quando estamos UNOS com o TODO podemos perder o ritmo na Dança do Universo, mas permaneceremos sempre de mãos dadas.

[Marla de Queiroz]

"Mulher é mais silenciosa. Mulher é mais sorridente. Mulher é mais pura… Bom, sinto informar mas essa definição de mulher aí é de uma chatice sem fim. Meu amigo, não se engane: mulher misteriosa é aquela que não tem nada a dizer. Porque a mulher, quando interessante, não vai deixar de fazer um comentário inteligente e engraçado e, muitas vezes (sim senhor!), contrário à sua opinião. Se você quer uma sonsa sorridente que diga amém para tudo o que você pensa, arrume uma boneca inflável (a boca dela só abre para receber, e nunca para dividir algo. Que perfeição!). E a boneca inflável, apesar da aparência de puta, é a única que chega virgem e pode ter um único dono a vida toda: é só você não a esquecer à vista quando der uma festa no seu apê." 

[Tati Bernardi]
Img: Nicole Kidman

"Eu queria te pedir desculpas, por minhas culpas despejadas, por minhas palavras mau pensadas, por minhas imperfeições multiplicadas. Sempre disse que não sei fazer de conta, transparente além da conta. Desculpa minha falta de modos, meu jeito de falar, de andar sem jeito, é que não sei ser graciosa, tenho dias de verso outros de prosa. Saiba que meu lado briguento é bem carinhoso e o meu não chegue perto, possui os braços abertos. Quando digo que aguento o tranco, que sou forte, é nesse momento que viro filhote.Você é minha boca sorrindo, meu olhar dormindo, meu cuidado, meu ninho, com você crio asas, mudo de casa, viro passarinho."


[Renata Fagundes]
Img: Foto: Anne Hathaway e Jim Sturgess in Um dia

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Dia Nacional do livro infantil

"... tinha a impressão de quase ouvir os livros sussurrar pela porta entreaberta. Milhares de histórias desconhecidas prometiam abrir milhares de portas para mundos nunca antes vistos."


[Cornelia Funke in Coração de Tinta]

"Deus dá a todos uma estrela.Uns fazem da estrela um sol.

Outros nem conseguem vê-la."


[Rubem Alves]

"De preferência, que cada dor da gente não fira ninguém até poder se transformar em algum jeito de dádiva, porque grande parte delas se transforma. Que mesmo doendo, aqui e ali, a gente possa ter também valentia suficiente para não abrir mão da nossa capacidade de amar e nem da nossa sincera alegria diante da preciosidade charmosa e abundante da vida. Com tudo o que ela diz e, jardim permeado de sementes, potencialmente, ainda pode fazer florir. Viver é rico demais, mas, não é raro, a gente esquece o acesso à própria fortuna. As nuvens, mesmo as mais densas, são transitórias.  Nós, essencialmente, somos sol."

[Ana Jácomo]

"Eu agradeço cada Não, com um Sim, que sempre ecoava aqui dentro. Eu dizia: - Sim, continua que o teu caminho é bom. Pra mim mesma."

[Bibiana Benites]

terça-feira, 17 de abril de 2012

Ela olhava as pessoas de dentro
parecia que os olhos de fora viviam quebrados
as vezes se questionava se seu mundo era mesmo do jeito que via
ou se era culpa da visão com defeito.
Será que o jeito sem graça e maldoso das pessoas de enxergar era o certo?
Será que o defeito dos seus olhos teria conserto?

[Renata Fagundes]

segunda-feira, 16 de abril de 2012


"Antes de me pôr a caminho, abro devagar e completamente os braços para depois fechá-los arredondados, tocando suavemente as pontas dos dedos de uma das mãos nas pontas dos dedos da outra. Como se faz para abraçar uma pessoa. Mas não há nada entre meus braços além do ar da manhã. Suspiro, sorrio, desfaço o abraço.Então, com as mãos vazias, finalmente começo a navegar..."

[Caio Fernando Abreu]

domingo, 15 de abril de 2012

"Todos os dias eu enterro um pouco do que me faz mal. Eu não quero cultivar o que me destrói. O que nada me acrescenta. O que não me traz nada de bom."

[Bibiana Benites]

sábado, 14 de abril de 2012

"Se até hoje eu te lembro, te falo, e te sinto, confesso: eu ainda te encontro em algumas canções, em algumas fotos. É fato. Eu fiquei com um pedaço da parte tua, por que foi minha um dia a parte inteira."


[Bibiana Benites]

sexta-feira, 13 de abril de 2012

"E basta fechar os olhos
para naufragar
outra vez
e cada vez mais fundo
na tua boca"

[Caio Fernando Abreu]
Foto: Anne Hathaway e Jim Sturgess in Um dia

"Haja o que houver, aja." [F.G]

"Mais do que na força das palavras, eu acredito no poder das atitudes. Na grandeza dos gestos. Nas sutilezas das ações. Guarde seus dizeres para utilizá-los depois que fizer. Eles serão apenas um complemento.
Palavras quando não andam sincronizadas com nossos pés, não chegam a lugar algum. Não dizem absolutamente nada.
É na coerência das ações que a gente se encontra e o outro nos reconhece.
Ninguém pode viver preso em um discurso.

Ou seja,

Seja!"

[Fernanda Gaona]

Sexta-Feira 13

"A crença de que o dia 13, quando cai em uma sexta-feira, é dia de azar, é a mais popular superstição entre os cristãos. Há muitas explicações para isso. A mais forte delas, segundo o Guia dos Curiosos, seria o fato de Jesus Cristo ter sido crucificado em uma sexta-feira e, na sua última ceia, haver 13 pessoas à mesa: ele e os 12 apóstolos. 

Mas mais antigo que isso, porém, são as duas versões que provêm de duas lendas da mitologia nórdica. Na primeira delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. Daí veio a crendice de que convidar 13 pessoas para um jantar era desgraça na certa.

Segundo outra lenda, a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem à palavra friadagr = sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, a lenda transformou Friga em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio. Os 13 ficavam rogando pragas aos humanos.


O número 13


A crença na má sorte do número 13 parece ter tido sua origem na Sagrada Escritura. Esse testemunho, porém, é tão arbitrariamente entendido que o mesmo algarismo, em vastas regiões do planeta - até em países cristãos - é estimado como símbolo de boa sorte. O argumento dos otimistas se baseia no fato de que o 13 é um número afim ao 4 (1 + 3 = 4), sendo este símbolo de próspera sorte. Assim, na Öndia, o 13 é um número religioso muito apreciado; os pagodes hindus apresentam normalmente 13 estátuas de Buda.

Na China, não raro os dísticos místicos dos templos são encabeçados pelo número 13. Também os mexicanos primitivos consideravam o número 13 como algo santo; adoravam, por exemplo, 13 cabras sagradas. Reportando-nos agora à civilização cristã, lembramos que nos Estados Unidos o número 13 goza de estima, pois 13 eram os Estados que inicialmente constituíam a Federação norte-americana. Além disso, o lema latino da Federação, "E pluribus unum" (de muitos se faz um só), consta de 13 letras; a águia norte-americana está revestida de 13 penas em cada asa."

quinta-feira, 12 de abril de 2012

"Eu acredito. Acredito no tempo. O tempo é nosso amigo, nosso aliado, não o inimigo que traz as rugas e a morte. O tempo é que mostra o que realmente valeu a pena, o tempo nos ensina a esperar, o tempo apaga o efêmero e acaba com a dúvida."

[Caio Fernando Abreu]

quarta-feira, 11 de abril de 2012

"Entenda, meu amigo

...dessa vida a gente não sabe nada, a gente não leva nada. Estamos aqui para errar todos os dias. Para tentar fazer o certo e, ainda assim, fazer errado. Ninguém é Deus, ninguém é diabo. Todo mundo tem um pouco de tudo."

[Clarissa Corrêa]

terça-feira, 10 de abril de 2012

"Nada vale a minha paz. Com o passar dos anos me tornei menos rígida comigo e com os outros. Aprendi que tudo tem o tempo certo, que "eu" tenho meu tempo certo e que tentar me anteceder a fatos e situações é um desgaste desnecessário. Não fico ruminando problemas, sentimentos de culpa, muito menos desafetos.
Me gosto livre. Grito quando tenho que gritar, falo o que penso, mas não acumulo nada,  lixo emocional exala mau cheiro e atrai moscas. Me aceito impura, inteira, intensa, sem me questionar demais. Convivo bem com meus pecados e virtudes. Hoje, me importo com o que realmente vale a pena. É impossível viver em estado de tensão, vigilância, em alta voltagem todo o tempo. Me limitei a ser leve para não perder o humor. 

[Renata Fagundes]
Img:  Marion Cotillard

“Já não falei pra você que intelectualismo não é comigo, Baby? Abaixo a razão e o pensamento! 
O negócio é só sentir, meu irmão, só sentir. 
Pensar já era.”


[Caio Fernando Abreu]

segunda-feira, 9 de abril de 2012

“Sossegue coração
ainda não é agora
a confusão prossegue
sonhos afora

[Paulo Leminski in “La vie en close”]

Img: Kristen Dunst in Maria Antonieta

domingo, 8 de abril de 2012

A escolha certa

"Quem dera que a vida fosse como nos filmes que a gente pressiona a tecla "avançar" e já fica sabendo o que acontece no final. Infelizmente - ou felizmente - na vida real é proibido ter certeza e os caminhos nunca se apresentam de forma bem definida tipo preto ou branco. As escolhas variam numa limitada gama de cinzas claros e escuros e é sempre arriscando que fazemos decisões, porque sofrer também faz parte do processo ou, como diria Eça de Queirós, " a cada viver corresponde um sofrer".

 [Camila Nascimento Silva in Você tem meia hora]
Img: Robert Carlyle e Josh Dallas  in Once Upon a Time - 1ª Temporada

sábado, 7 de abril de 2012

"Os sonhadores constroem o mundo, 
os outros copiam"


[Autor Desconhecido]


sexta-feira, 6 de abril de 2012

"Eu continuo acreditando nos "sins" da vida, mesmo quando ela insiste em me enfiar goela a baixo uma sucessão de "nãos". Desculpa Vida, mas eu não desisto de mim por nada nesse mundo."

[Bibiana Benites]
Img: 
Meghan Ory in Once Upon a Time, 1ª temporada

quinta-feira, 5 de abril de 2012

"Ela falava de sonhos sem medo de parecer ridícula. Gostava da leveza descompromissada de vez ou outra marcar encontro com seu livro favorito. Colecionava filmes água com açúcar sem se preocupar com o que achavam do seu intelecto. Enquanto todos buscavam o dourado do sol, ela comemorava o cheiro da chuva perfumando a casa. Afinal, era feita de barro, podia ser moldada de acordo com os dias e se o resultado não fosse o esperado, se deixava quebrar e se refazia. 

Redescobriu novos sabores nas palavras: tranquilidade, equilíbrio, alegria, palavras conhecidas que agora eram degustadas, lambuzadas, vividas. Descobriu com tristeza pessoas vazias. Não sabia se existia culpa, apenas identificou uma necessidade urgente de atenção, cuidado, tempo. Pois é, a gente precisa dedicar um pouco mais tempo pra um sorriso, um abraço, um conte comigo. Pessoas ficam amargas porque ficam por muito tempo sem experimentar o doce sabor da palavra gentileza. Só consegue ser gentil quem não espera nada em troca.

Estava agora, em um de seus passeios noturnos a conversar com o vento. E quando a noite era só breu, enfeitava os cabelos com estrelas para clarear os pensamentos."

[Renata Fagundes]

quarta-feira, 4 de abril de 2012

"Encare-se no espelho e pergunte: quem eu penso que sou? E chore, porque você é fraco, erra, se engana, explode, faz bobagem. E aí enxugue as lágrimas e perdoe-se, que é o que bons amigos fazem: perdoam."


[Martha Medeiros]

terça-feira, 3 de abril de 2012

"A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa,
Como se estivessem abertos diante de nós 
todos os caminhos do mundo.
Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali...
Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando!" 

[Mário Quintana]

segunda-feira, 2 de abril de 2012

"Nos raros e vastos instantes em que consigo experimentar a liberdade da ausência de expectativas, costumo receber melhor o presente. Um bocado de vezes, eu recebo o presente melhor. Enquanto eu o desembrulho, percebo, em geral um tanto surpresa, que não preciso necessariamente que algo mude para eu ser feliz porque eu já sou. Apesares, pesares, incluídos.  É claro que os acréscimos são muito bem-vindos."

[Ana Jácomo]

"De algum modo, sentia que estava ficando meio maluco.
Mas sempre me sentia assim.
De qualquer forma a insanidade é relativa.
Quem estabelece a norma?"

[Charles Bukowski]

domingo, 1 de abril de 2012

Crazy é uma palavra que confere certo humor à loucura
parece que se é uma louca divertida, supercrazy, personagem de gibi
alegre, magnética, cabelo colorido, uma destrambelhada que ri

Crazy é uma palavra que não descreve a minha inversão
sou louca em português, very absorta, nada institucional
desajuste silencioso, independente, que não se cura, nem se cobre com bandeide

Crazy não me entitulo, tenho a fachada sã e não trago o riso solto
meu desvio é genético, louca de berço, pura, sem aditivos
loucura genuína não se produz e a américa nada tem a ver com isso

Crazy é bacana, crazyland, terra dos que estão em paz e fumam,
a noite inteira gargalhando, beijando-se uns aos outros, just fun
o que sinto é mais uterino, absolutamente pessoal e profano

Crazy, sou às vezes
louca, doze meses por ano"


[Martha Medeiros em Cartas extraviadas e outros poemas]

Foto: Rihanna

;;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates