quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Assim é para nós

Não me inquieto
quando não recebo as respostas
das perguntas que não fiz.
Eu me conformei
em reservar alguma coisa
de ti para saber depois.
Um pouco do nosso amor
será póstumo.
É recomendável
não descobrir todos os segredos.

[Frabrício Carpinejar In: Como no Céu. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2005. p. 67.]

Despindo a alma

[...] "É erótico ver uma mulher que sorri, que chora, que vacila, que fica linda sendo sincera, que fica uma delícia sendo divertida, que deixa qualquer um maluco sendo inteligente. [...]
Não conheço strip-tease mais sedutor."
[Martha Medeiros - Despindo a alma]

Foto: Sarah Jessica Park e Chris Noth in ensaio - Carrie e Mr. Big


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Reflexos de você.

Eu te enxergaria a distância... e mesmo assim com alguma coisa subentendida.
Eu te veria através, misteriosamente escondido por trás da própria transparência.
Eu te roubaria num beijo, como aqueles beijos que nascem num segundo eterno e morrem antes da eternidade.
Eu te ganharia num toque, como aqueles toques com trilha sonora de fundo, acompanhados de um olhar vindo de baixo para cima.
Mas como as únicas coisas no mundo que não são nossas são as pessoas e como eu não te roubo em um beijo e sequer te ganho num toque, e muito menos te olho nos olhos, me contento em respirar teu perfume, contemplar teu sorriso e sentir teu mistério no espaço entre nós dois.
Silencioso como silencia a morte, encantador como encanta a vida.
Teu sorriso ilumina um mistério regado a não sei o quê. Um fluido de dúvidas e curiosidade, que aumentam mais e mais ao deparar-se com a contradição que são teus olhos.
Suave como um suspiro e suplicante como uma prece.
Apagando os raios solares com as lágrimas e renascendo uma manhã com um coração vazio e fascinante.
Cristal muito mais que lapidado e muito mais brilhante do que o próprio brilho.
Teu olhar é tão triste que chega a doer na alma.
E teu sorriso é tão puro que chega a escorrer no sangue.
Eu ficaria horas só falando de você.
E você lá do outro lado com o coração ocupado em amar um alguém.
Gosto de você.
Gosto de você como se gosta de um fim de tarde de quadro.
Gosto de você como se gosta de um sonho sem fim.
Gosto de você como se gosta de um retrato do céu.
Gosto de você como gosta a brisa dos mares
Gosto de você como a lua gosta do amor.
Fixaram você como tatuagem de luz lá no peito.
Perturbadora e angelical.
Assim é tua índole.
Destruidora e doente.
É o gosto desesperador da tua ausência.

[Thaís SBA]

Arrisque-se


"...A gente não pode desperdiçar certas oportunidades na vida, sob pena de arrependimentos e rancores futuros que ficam dependurados no trapézio do cocoruto até o fim dos dias. Meio amor não é amor, como nos lembra o titio Nelson, mas se sente que é amor inteiro, segura na mão de Deus e vai, sem medo."  
 [Xico Sá in Falando ao Coração]

Memória Básica

Era viciada em ser sexy.
O mais obviamente sexy possível.
Tinha conjuntos de lingerie matadores: um cor de pérola, um verde mato e um vermelho cereja. Tinha um tamanquinho de salto com plumas rosas, também, cara de puta chique. Só usava em datas especiais, assim como o corpete preto estilo dançarina do Moulin Rouge. Maior xodó. Seu sonho, aliás, era colocar um trapézio no meio do quarto para se fingir de Satine.
Tudo para ele.
Ela tomou aulas de dança do ventre.
Frequentou uma academia de flamenco. Pediu até para uma amiga que ia de férias para Espanha lhe trazer um par de castanholas.
Aí fez um curso de streap-tease on line. Estudou tango. Charlestone. Lap-dance. Poli-dance.
Tudo, tudinho para ele.
Ele?
Gostava, né. Se sentia todo especial quando ela armava uma produção dessas. E de surpresa, ainda, nossa, loucura total! Mas, mesmo cuidando para não parecer desfeita, ficava esperando que tudo chegasse ao fim para poder se enrolar com ela num cobertor, de onde pretendia não sair até a manhã seguinte.
Fato é que ela nunca prestou muita atenção no que ele achava. Vício é vício e o dela era ser sexy. Tanto que quando ele vinha, ela escondia, no fundo do guarda-roupa, a manta velha e cheia de bolinhas que atrapalhava a sua performance. E não é que mesmo assim ele a encontrava? E os dois acabavam sempre enrolados nela, maculando a cama de lençóis de seda perfumados que ela tinha selecionado especialmente para aquela noite de prazer.
Um dia, apesar de todas as plumas, de todas as transparências, de todas as rendas e cetins; apesar da música árabe e da produção com cara de mil e uma noites; apesar do arranjo da melodia japonesa e do seu belíssimo quimono de gueixa naquela noite regada a sakê; apesar do livro do Kamasutra na cabeceira, dos óleos, das massagens eróticas, das ostras e dos morangos com champanhe... Um dia, o relacionamento acabou. E foi num dia qualquer, sem produção nenhuma, na padaria, em frente a um pão na chapa e a um pingado.
Então ela maldisse todas as quinquilharias étnicas do seu guarda-roupa, todas as apostilas xerocopiadas dos cursos de sexo tântrico, todas as receitas de poções afrodisíacas e todos os endereços das melhores lojas de lingerie de São Paulo. Não precisava mais daquilo, daquele maço de canela em pau que não servia nem pra quentão, daquelas pétalas de rosas ressecadas que de bálsamo para banhos excitantes só serviriam pra juntar mofo, daquela porcaria daqueles conjuntos matadores que ela não usaria com mais ninguém, nunca mais, porque então ela odiava todos os homens do planeta.
Vestia suas calcinhas de algodão, sua camisola de flanela, sua pantufa do Garfield, tomava uma canja de galinha para levantar o espírito e se enrolava no cobertor velho. Era assim que ela pretendia viver sem ele: de pijama. E lá ela ficaria até o mundo acabar. Estava cansada, muito cansada de ter sido tão sexy à toa.
Ele, depois de um tempo, já não se recordava muito bem daquelas noites customizadas nas quais ela se transformava numa criatura quase inventada. Ele se esqueceu da gueixa e mal se lembrava do dia dos namorados ao lado da “odalisca”.
Se lembrava, sim, daquelas poucas coisas deliciosamente imperfeitas sobre ela. Do nariz vermelho quando a rinite atacava - e ela espirrava dezessete vezes seguidas. Daquela madrugada fria, quando ele chegou de viagem e ela abriu a porta do apartamento com uma camiseta da “Hard Rock – Orlando” que deveria ter no mínimo dezesseis anos, das meias de lã alaranjada de elástico frouxo e de uma calcinha de algodão cor de rosa que ela só usava “naqueles dias” – durante os quais, aliás, ele não era bem-vindo. Ah, e o cheiro do xampu no seu cabelo ainda úmido? Ela escovando os dentes. Ela com soluço. Ela fazendo uma baliza. Ela varrendo um copo quebrado. Era dessas coisas prosaicas que sua memória se alimentava. Era uma memória nua, do tipo que ele gostaria de poder enrolar num cobertor.
Não era uma memória de seda, nem de cetim, nem de plumas, nem de véus.
Era uma memória básica, de algodão. Tão simples e tão sincera quanto uma Hering velha que ele havia deixado para sempre em uma gaveta na casa dela.
Gaveta, aliás, onde ela guardava seus conjuntos de lingerie.
Aqueles matadores, perfeitos e esquecíveis.


[Cléo Araújo]

Não seja covarde

 "Seja homem, seja mulher, diga na lata.
Não engane a moça, que a moça é fino trato, que não merece desdém. 
A fila anda para os dois, jogue limpo." 

[Xico Sá In A GENTE SE VÊ]

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Sem direção

 Estou me sentindo perdida. Não que eu entenda ou possa justificar a razão dessa sensação, no meu pensamento não encontro fundamento para a inquietação que estou sentindo. Estou tendo um dia morno, mas a revolução dentro de mim é inexplicável. Não acho saídas senão as que me foram dadas, as respostas que recebi deveriam bastar para me manter segura. Mas não bastam. E mesmo que eu tenha visto na última semana que eu me basto, restou ainda uma pergunta: e nós dois?
Planos são feitos tão rápidos quanto desfeitos, aprendi que por mais que a gente acredite que aquele caminho é o que queremos, às vezes não é o que precisamos. Talvez esse não seja o que você precisa, talvez você também tenha de vencer a si mesmo para nos alcançarmos. Tenho medo da minha suspeita, tenho medo de que agora que descobri o meu caminho o seu não esteja interligado ao meu, eu tive a minha dor, a minha mácula, o meu desafio. Enfrentei, mudei. Mas é o bastante? E o seu desafio? Além de me ajudar no meu caminho, qual é a sua mudança? Qual condição irá lhe impor medo de verdade a ponto de finalmente eu acreditar na sua vontade?
Preciso acreditar que venci. Preciso de mais do que você pra ter isso. Preciso ver que essa é realmente a sua escolha, que eu sou sua escolha e não um desvio. Flor

Vou amar mesmo assim

"E, nesse mundo, ninguém precisa trocar amor por coisa alguma, porque ele brota sozinho entre os dedos da mão, e se alimenta do respirar, do contemplar o céu, do fechar os olhos na ventania e abrir os braços antes da chuva. Mesmo quando o outro vai embora, a gente não vai. A gente fica e faz um jardim, um banquinho cheio de almofadas coloridas e pede aos passarinhos não sujarem ali, porque aquele é o banquinho do nosso amor, do nosso grande amigo. Para que ele saiba que em qualquer tempo, em qualquer lugar, daqui a quantos anos, não sei, ele pode simplesmente voltar, sem mais explicações, para olhar o céu de mãos dadas. Eu não quero passar a minha existência pulando de pedra em pedra, tomando atalhos de relações humanas. Eu vou mergulhar com o meu amigo, ainda que eu tenha de ficar em silêncio."
[Rita Apoena]

O que é importante

"Vida é memória.
Dei pra pensar que tudo que há de mais vivo em mim foi aquilo que já se foi.
As pessoas mais importantes foram as que ficaram."

[Martha Medeiros in Divã]

Maturidade

Você tem condições para perceber a sua maturidade. É só observar se você é obediente mesmo quando não há pessoas ao seu redor. Você não precisa que ninguém te observe, pois você já viu aquilo como um valor. Pessoas imaturas sofrem dobrado. Pessoas imaturas querem modificar os fatos, pessoas maduras deixam que os fatos os modifiquem. A maturidade nos faz perceber que não podemos mudar os fatos.
[...]
A rejeição é um processo de ver-se. Toda vez que eu quero buscar no outro o que me falta, eu o torno um objeto. Eu posso até admirar no outro o que eu não tenho em mim, mas eu não tenho o direito de fazer do outro uma representação daquilo que me falta. Isso não é amor, isso é coisa de criança. O anonimato é um perigo para nós. É sempre bom que estejamos com pessoas que saibam quem somos nós e que decisões nós tomamos na vida. É sempre bom estarmos em um lugar que nos proteja. Amar alguém é viver o exercício constante, de não querer fazer do outro o que a gente gostaria que ele fosse. A experiência de amar e ser amado é acima de tudo a experiência do respeito.
Como está a nossa capacidade de amar? Uma coisa é amar por necessidade e outra é amar por valor. Amar por necessidade é querer sempre que o outro seja o que você quer. Amar por valor é amar o outro como ele é, quando ele não tem mais nada a oferecer, quando ele é um inútil e por isso você o ama tanto. Na hora que forem embora as suas utilidade, você vai saber o quanto é amado. Tudo vai ser perdido, só espero que você não se perca. Enquanto você não se perder de si mesmo você será amado, pois o que você é significa muito mais do que você faz.

[Pe. Fábio de Melo]

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Se me é negado o amor

Se me é negado o amor, por que, então, amanhece;
por que sussurra o vento do sul entre as folhas recém nascidas?
Se me é negado o amor, por que, então,
A noite entristece com nostálgico silêncio as estrelas?
E por que este desatinado coração continua,
Esperançado e louco, olhando o mar infinito?
[Rabindranath Tagore]

ONDE VOCÊ COLOCA O SAL?

O velho Mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal em um copo de água e bebesse.
-'Qual é o gosto?' - perguntou o Mestre.
-Ruim' - disse o aprendiz.
O Mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago.
Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago. Então o velho disse:
-'Beba um pouco dessa água'.Enquanto a água escorria do queixo do jovem o Mestre perguntou:
-'Qual é o gosto?'
-'Bom!disse o rapaz.
-'Você sente o gosto do sal?' perguntou o Mestre.
-'Não disse o jovem.
Mestre então, sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse
-'A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde
a colocamos. Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é
aumentar o sentido de tudo o que está a sua volta.
É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu. Em outras palavras:
É deixar de Ser copo, para tornar-se um Lago.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Sem inocência


 
"Aprendi a amar menos, o que foi uma pena, e aprendi a ser mais cínico com a vida, o que também foi uma pena, mas necessário. Viver pra sempre tão boba e perdida teria sido fatal."

[Caio Fernando Abreu

Foto: Leighton Meester e Chace Crawford como  Blair Waldorf e Nate Archibald in Gossip Girl

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Sempre sou eu

 
"Se ela tivesse confiado assim no taco dela. E sorrido mais. Se ela tivesse me amado sem amar. Ou como amam as pessoas que conseguem se relacionar."
 [Tati Bernardi]

Foto: Naomi Watts

Sou eu

 Não reparem tanto...É! Andei com dor de cotovelo esses dias...



"Ele te provoca pra mostrar que é melhor que eu
Joga todo charme que puder pra ver se me venceu
Olha pra você com aquele olhar jeito de quem vai te amar
Mais do que eu, mais do que eu
Ele sempre chega nos lugares que você está
Quer aparecer de qualquer jeito pra você notar
Pra quem sabe ler um pingo é letra e eu posso decifrar
Seu jogo de amor também sei jogar

Quando o telefone toca você já não quer atender
Pode ser ele do outro lado pra falar com você
Não sou eu
Acho que é melhor você contar pra ele de uma vez
Que esse amor é todo meu eu não divido por três
Sou eu, sou eu
Sou eu quem faz amor com você a noite
Sou eu quem dá a vida se preciso for
Faz ele ver que o seu grande amor
Sou eu, sou eu, sou eu, sou eu, sou eu"


[Bruno e Marrone in Sou eu

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Sem você

"Doem tantos os sorrisos
É tão difícil respirar
É que não ter você aqui já me faz mal

Continua me rodeando a sua sombra
E continuam rodando por aí
Todas as palavras que falamos
E os beijos que nos demos
Como sempre, hoje estou
Pensando em você"

[Shakira in Sombra de ti]

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Para quem ama

 
"Os Amantes, eles nunca esgotam as criaturas amadas. Porque o amor sobrevive de futuro.Ele consegue enxergar o que a gente ainda não viu. A pessoa que ama consegue enxergar o que o outro ainda não é, vê o avesso, vê o contrário da situação” [Pe. Fábio de Melo]

Eu te amo

Não vejo o amor sem a admiração. Admirar é desejar ser igual estando junto. Admirar-se. Admirar a gentileza do homem jurando por Deus. Admirar sua lealdade com os amigos. Admirar seu jeito esforçado de assumir as contas. Admirar seu cuidado treinado com os idosos, cedendo assentos e lugares nas frases. Admirar os princípios herdados dos pais. Admirar sua masculinidade em sobrecarregar no abraço. Admirar seu riso infantil, sua ingenuidade no tropeço. Admirar sua vivacidade em brincar. Admirar, admirar-se.[...]
Admirar o perfeccionismo que o impede de ser totalmente seu. Admirar quando ele dorme no meio do filme e finge que assistia. Admirar suas mentiras encabuladas. Admirar, admirar-se. Admirar sua disposição em ser mais velho no medo e ser mais novo no aniversário. Admirar suas meias sem par na gaveta, suas fotos esquecidas de datas, seus recados de telefone faltando números. Admirar sua capacidade em desmemoriar compromissos. Admirar ao circular o sabão nos seios como se fosse uma vidraça. Admirar seu talento em provocar amizades no trem ou na rua, pouco preocupado em se preservar. Admirar quando urra desaforos no estádio, logo ele tão civilizado, tão cordato na família. Admirar quando chora e não se enxerga lágrimas, um choro de soluços, recalcado.[...]
Admirar suas palavras de amor, incompreensíveis, mas terrivelmente musicais, e dizer "não entendi", para escutar outra vez. Admirar suas calças apertadas, justas como minhas pernas nas dele na cama. Admirar sua respiração pesarosa com o luto. Admirar sua caça de baratas voadoras pela sala e perceber que ele tem mais pavor do que eu. Admirar quando gosta de um livro e me conta tudo como se eu nunca fosse ler. [..]Admirar sua barba por fazer em minhas coxas. Admirar quando me busca antes de pedir.

Pode-se admirar um homem sem amá-lo. Mas não amar um homem sem admirá-lo.


[Fabrício Carpinejar in Nada mais bonito que um casal admirando-se]

Foto: Wall-e e Eve

Onde você estiver, não se esqueça de mim
Com quem você estiver não se esqueça de mim
Eu quero apenas estar no seu pensamento
Por um momento pensar que você pensa em mim

Onde você estiver, não se esqueça de mim
Mesmo que exista outro amor que te faça feliz


Se resta, em sua lembrança, um pouco do muito que eu te quis
Onde você estiver, não se esqueça de mim


Eu quero apenas estar no seu pensamento
Por um momento pensar que você pensa em mim
Onde você estiver, não se esqueça de mim

Quando você se lembrar não se esqueça que eu
Que eu não consigo apagar você da minha vida
Onde você estiver não se esqueça de mim

 [Nana Caymmi in Elas catam Roberto - Composição: Roberto Carlos / Erasmo Carlos]

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Esperando


"Por mais que longe pareçaides
na minha lembrança ides
na minha cabeça
valeisa minha esperança."

[Cecília Meirelles - Lavoura Arcaica]

Para sempre

 
"Eu sempre me apaixono por você.
Todas as vezes que te vi, eu sempre me apaixonei por você."
[Tati Bernardi]

Foto: Sarah Jessica Parker e Chris Notn como Carrie e Mr Big no Seriado Sex and the city, ep. 85


 

"Não eu não consigo acreditar no que aconteceu , é um sonho meu, nada se acabou
Não é impossível não consigo viver sem você, volte e venha ver, tudo em mim mudou
Eu já não consigo mais viver dentro de mim, e... viver assim é quase morrer
Venha me dizer sorrindo que você brincou e que ainda é meu, só meu o seu amor
Hoje mais um dia de tristeza para mim passou, nem o meu olhar nada se alegrou
Sinto-me perdido no vazio que você deixou, nada quero ser, já nem sei quem sou"
[Fábio Jr. Composição: Márcio Greyck]

A roda da vida

Então eu estou aqui
E você também
Me permita ser o seu espelho esta noite
E cantar em mim o teu encanto
Tua estranheza e teu espanto
Como quem sabe no fundo
Que não há distância neste mundo
Pois somos uma só alma
Me permita ser esta noite
A voz que te canta e te encanta
de si
Que te faz sentir-se e parar
Como quem volta pra casa e
resolve se amar
Somos livres e não possuímos
as pessoas
Temos apenas o amor por elas
e nada mais
E é preciso ter coragem para
ser o que somos sustentar
uma chama no corpo sem deixar
a luz se apagar
É preciso recomeçar no caminho
que vai para dentro
vencendo o medo imaginado
assegurar-se no inesperado
confiando no invisível
desprezando o perecível
na busca de si mesmo
Ser o capitão da nau
no mais terrível vendaval
na conquista de um novo mundo
mergulhar bem fundo
para encontrar nosso ser real
E rir pois tudo é brincadeira
Que cada drama é só nosso
modo de ver
A vida só está nos mostrando
Aquilo que estamos criando
Com nosso poder de crer

Luiz Antonio A. Gasparetto

Foto: Josh Hartnett e Shannyn Sossamon in 40 dias e 40 noites

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Eu vou estar

Eu não vou pro infernoEu não iria tão longe por você
Mas vai ser impossível não lembrar
Vou estar em tudo em que você vê:

Nos seus livros, nos seus discos
Vou entrar na sua roupa
E onde você menos esperar
Eu vou estar

Eu não vou pro céu também
Eu não sou tão bom assim
E mesmo quando encontrar alguém
Você ainda vai ver a mim;

Nos seus livros, nos seus discos
Vou entrar na sua roupa
E onde você menos esperar

Embaixo da cama
Nos carros passando
No verde da grama
Na chuva chegando

Eu vou voltar;
Nos seus livros, nos seus discos
Vou entrar na sua roupa
E onde você menos esperar
Eu vou estar, eu vou estar...

[Capital Inicial - Composição: Dinho Ouro Preto / Alvin L.]

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Prisão

"Como uma criança temendo pecados, punições de anjos vingadores com espadas flamejantes, prometo a mim mesmo nunca mais ouvir, nunca mais ter a ti tão mentirosamente próximo, e escapo brusco para que percebas que mal suporto a tua presença, veneno, veneno, às vezes digo coisas ácidas e de alguma forma quero te fazer compreender que não é assim, que tenho um medo cada vez maior do que vou sentindo em todos esses meses, e não se soluciona, mas volto e volto sempre, então me invades outra vez com o mesmo jogo e embora supondo conhecer as regras, me deixo tomar por inteiro por tuas estranhas liturgias, a compactuar com teus medos que não decifro, a aceitá-los como um cão faminto aceita um osso descarnado, essas migalhas que me vais jogando entre as palavras e os pratos vazios [...]. Tornarei sempre a voltar porque preciso desse osso, dos farelos que me têm alimentado ao longo deste tempo."

[Caio Fernando Abreu]

Amor não é conveniência

O amor não é isso que o senhor diz; não nasce de uma circunstância fortuita, nem de uma longa intimidade, é uma harmonia entre duas naturezas, que se reconhecem e completam.

[Machado de Assis in Ressurreição , p117]

Tudo que eu queria

     -  Ryan Gosling (Noah) e Rachel McAdams (Allie) no filme Diário de uma paixão -

"…o melhor amor é aquele que acorda a alma e nos faz querer mais,
que coloca fogo em nossos corações e traz paz as nossas vidas,
foi isso que você fez comigo e era isso que eu queria ter feito com você pra sempre…"

(Nicholas Sparks in O caderno de Noah)

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

A dor que dói mais

Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, dói. Bater a cabeça na quina da mesa, dói. Morder a língua, dói. Cólica, cárie e pedra no rim também doem. Mas o que mais dói é saudade. Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais. Saudade do pai que já morreu. Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade. Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa. Dói essas saudades todas. Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida. Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o escritório e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando no inverno, não saber mais se ela continua pintando o cabelo de vermelho.
Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu, não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ele tem comido frango assado, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Coca-cola, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua surfando, se ela continua lhe amando. Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche. Saudade é não querer saber se ele esta com outra, e ao mesmo tempo querer. É não querer saber se ela está feliz, e ao mesmo tempo querer. É não querer saber se ela esta mais magra, se ele esta mais belo.
Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim, doer.
                                            [Martha Medeiros]

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Não vou esquecer

"Eu nunca vou esquecer você. Eu não soube o que fazer com você, mas sei o que fazer com o não você. Isso eu sei fazer e faço bem. Lembrar que era terrível e incrível. Terrível, meu amor, como poucas (ou nenhuma) coisas foram. Mas absolutamente incrível.." 

[Tati Bernardi]




- Keira Knightley -

Desabamento

Não, o melhor é não falares, não explicares coisa alguma. Tudo agora está suspenso. Nada agüenta mais nada. E sabe Deus o que é que desencadeia as catástrofes, o que é que derruba um castelo de cartas! Não se sabe… Umas vezes passa uma avalanche e não morre uma mosca… Outras vezes senta uma mosca e desaba uma cidade.
[Mário Quintana in “Sapato florido”]

Se eu te perder

"A dor de perder alguém em vida é pior do que a dor da morte, porque é o nunca mais de alguém que se poderia ter, já que está vivo e por perto."

[Caio Fernando Abreu]

Quando temos certeza é assim

"...Sempre gostei dela. Não significava muito antes de me tornar adulto; mas, depois dos meus ritos de passagem comecei a me perguntar com quem eu deveria me casar e quem eu queria que fosse a mãe dos meus filhos. Durante uma de nossas visitas a Carvahall, vi Katrina parar ao lado da casa de Lorring para colher uma rosa mugosa que crescia à sombra dos beiras. Ela sorriu ao olhar para a flor... Foi um sorriso tão delicado, tão feliz, que decidi naquele instante que queria fazer Katrina sorrir daquele jeito muitas e muitas vezes, e que queria ver aquele sorriso até o dia da minha morte."

[Christopher Paulini in Brisingr -3º livro da Saga de Eragon]

Atiraste uma pedra

Atiraste uma pedra
No peito de quem
Só te fez tanto bem
E quebraste um telhado
Perdeste um abrigo
Feriste um amigo
Conseguiste magoar
Quem das mágoas te livrou

Atiraste uma pedra
Com as mãos que essa boca
Tantas vezes beijou
Quebraste um telhado
Que nas noites de frio
Te servia de abrigo
Feriste um amigo
Que os teus erros não viu
E o teu pranto enxugou

Mas acima de tudo
Atiraste uma pedra
Turvando essa água
Essa água que um dia
Por estranha ironia
Tua sede matou

[Maria Bethânia - Composição: Herivelto Martins / David Nasser]

Afundando

"Tenho me confundido na tentativa de te decifrar, todos os dias. Mas confuso, perdido, sozinho, minha única certeza é que de cada vez aumenta ainda mais minha necessidade de ti. Torna-se desesperada, urgente. Eu já não sei o que faço. Não sinto nenhuma outra alegria além de ti.
Como pude cair assim nesse fundo poço? Quando foi que me desequilibrei? Não quero me afogar: Quero beber tua água. Não te negues, minha sede é clara."

[Caio Fernando Abreu]

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Sempre em ti, sempre em mim

- Keira Knightley no filme Orgulho e Preconceito -

Voa minha ave
Voa sem parar
Viaja pra longe
Te encontrarei
Em algum lugar
Permaneço em ti
Como sempre foi
Mais perfeito e mais fiel
Mesmo sozinho sei que estás perto de mim
Quando triste olho pro céu

(Ivo Pessoa in Uma vez mais)

;;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sentimentos Soltos

Template by:
Free Blog Templates